Artes Cênicas

Produtores do Recife anunciam espetáculo com músicas de Reginaldo Rossi

Projeto de musical é revelado no dia que o músico, considerado o “Rei do Brega” completaria 78 anos de idade

O projeto “Borogodá” é assinado pelos irmãos Lopes, Ana Letícia e Gabriel que posam em estátua de Reginaldo RossiO projeto “Borogodá” é assinado pelos irmãos Lopes, Ana Letícia e Gabriel que posam em estátua de Reginaldo Rossi - Foto: Divulgação

Se estivesse vivo, o Rei do Brega faria 78 anos de idade no último domingo (14). Para celebrar a vida do ícone pop pernambucano, dois produtores de teatro anunciaram a produção do musical "Borogodá”. O espetáculo comédia que além de reunir músicas de Rossi, vai mostrar uma história que tem um pouco do que todo recifense gosta: romance, gaia e muito brega. 

Escrita e dirigida por Gabriel Lopes, a comédia musical tem previsão de estreia para o primeiro semestre de 2022. Ana Letícia Lopes e Gabriel Lopes, produtores do espetáculo, contam que a proposta de montar o projeto nasceu em 2017, no período em que produziram a versão recifense do espetáculo “Aladim, O Musical”.

De acordo com Gabriel Lopes, tanto ele como sua irmã são apaixonados pela música brasileira, por isso sentiam falta de um trabalho que somasse um tempero regional. Durante a temporada do Aladim que montamos em Recife, trabalhamos para acrescentar elementos e referências locais. Mas por que não produzir um que seja 100% local?”, disse Gabriel Lopes.

 Já Ana Letícia defende que é necessário manter vivo o reinado de Rossi, artista que morreu em 2013. “Suas músicas não só retratam a vida cotidiana de uma população através de temas comuns, elas também atravessam todas as classes sociais de forma democrática e com fácil entendimento, fazendo com que permaneçam vivas na cultura popular independente da época”, reforça.  

Com um roteiro totalmente original, o espetáculo tem mais de 30 músicas do Rei do Brega. A montagem, que teve sua primeira leitura em 2019, neste ano de 2021 está realizando a prática de montagem. Com direção Musical de Douglas Duan e coreografias assinadas por Stepson Smith.

O Borogodá:

A história contada em “Borogodá” se passa na cidade do Recife em meados da década de 60. Uma homenagem ao município que o cantor Reginaldo Rossi nasceu, ao momento auge da Jovem Guarda e também o período de lançamento do primeiro disco do cantor, ''O Pão'', que conta com o título ''No Claro ou no Escuro''. Este hit, e sucessos como "Garçom", "A Raposa e as Uvas", "Lua de Mel", "Mon Amour”, “Meu Bem, Ma Famme", "Leviana", estão entre as músicas que fazem parte do enredo do espetáculo.

O tributo conta a história do contador Toni, que no dia do aniversário de casamento descobre que a esposa o trai com um famoso cantor de Rock da época. Ao conhecer Clara, ex-esposa do astro, em um bar no centro do Recife, percebem que foram enganados e decidem se vingar do casal que acaba de anunciar o casório.

Os personagens da história prometem levar o público para dentro das músicas, os apresentando a personagens que, até então, viviam apenas no imaginário. O famoso "Garçom" toma forma e finalmente descobrimos quem é a tal "Leviana" de quem ele tanto falava.

 

 

Veja também

Galpão das Artes abre minimuseu de brinquedos populares em Limoeiro
Agreste

Galpão das Artes abre minimuseu de brinquedos populares em Limoeiro

Camilla de Lucas sofreu bullying na escola e não gostava de foto
BBB21

Camilla de Lucas sofreu bullying na escola e não gostava de foto