Música

Projeto Relicário lança álbum de show recuperado de Zélia Duncan no Sesc em 1997; saiba mais

Apresentação era parte da série de entrevistas "Ouvindo Estrelas", do jornalista musical Zuza Homem de Mello

Zélia Duncan em show realizado em 1997 no Sesc PompeiaZélia Duncan em show realizado em 1997 no Sesc Pompeia - Foto: Acervo Sesc Audiovisual/ Nilton Silva/Divulgação

Leia também

• Anitta confirma parceria com Sam Smith em novo álbum; saiba mais

• Fim de Feira lança álbum "Forró da Liberdade" como resistência da cultura popular; ouça

O projeto Relicário, do Selo Sesc, lançará na próxima terça-feira (6) o álbum "Zélia Duncan (ao vivo no Sesc 1997) em sua plataforma Sesc Digital. O show, recuperado pela iniciativa, era parte da série de entrevistas "Ouvindo Estrelas", do jornalista musical Zuza Homem de Mello.

“Eu estava no meu momento, a gravação que estamos lançando juntos é um documento lindo, para mim, também da minha cumplicidade com essa plateia que abriu para mim ouvidos e coração”, conta Zélia Duncan. “Lembro a minha entrada, daquele zumbido bom no ouvido, quando o público quer mostrar que te ama. Lembro o abraço no Zuza, lembro do quanto eu estava feliz”, recorda a cantora.

No show de 1997, Zélia Duncan apresenta um repertório baseado nos discos “Zélia Duncan” (1994) e “Intimidade” (1996), com grandes sucessos como “Catedral”, “Não Vá Ainda”, “Sentidos” e “Nos Lençóis Desse Reggae”, além de grandes interpretações como “Boomerang Blues” e “Quase Sem Querer”, de Renato Russo, “Am I Blue For You” de Joan Armatrading, e um trecho de “A Cidade”, de Chico Science.

A cantora foi acompanhada pelos músicos Ezio Filho (baixo e direção musical), Ricardo Brasil (percussão), Wallace Cardia (bateria), Luis Hiroshi (teclados) e Luiz Chaffin (guitarra, violão e bandolim).

Projeto Relicário
Inaugurado em abril com o álbum "João Gilberto (ao vivo no Sesc 1998)", a iniciativa do Selo Sesc tem resgatado áudios de shows históricos realizados em unidades do Sesc em São Paulo nas décadas de 1970, 1980 e 1990, remasterizados e formatados como álbuns digitais.

A série também oferece o contexto histórico de cada registro, através de textos, vídeos, fotografias e material iconográfico com folhetos, cartazes e notícias jornalísticas veiculadas na época, que poderão ser acessados pelo público, de forma gratuita no site do Sesc.

Os trabalhos são disponibilizados na plataforma Sesc Digital, que realizou uma adaptação especial para receber materiais em áudio, complementando o catálogo de filmes, cursos e outros 24 mil conteúdos que compõem o serviço sob demanda do Sesc São Paulo.

Veja também

Antônio Fagundes opina sobre remakes: "Preguiça de criação"
TELEVISÃO

Antônio Fagundes opina sobre remakes: "Preguiça de criação"

Big Brother Chile: gêmeas trocam de lugar na casa do Big Brother Chile para confundir confinados
reality show

Big Brother Chile: gêmeas trocam de lugar na casa do Big Brother Chile para confundir confinados

Newsletter