Cultura+

Relação afetiva com a Cidade

Optamos por sair da ideia de consumo, para mostrar como a festa é celebrada por muitos, sobretudo com a crise em que o País vive”, explicou.

[1250] Trabalho[1250] Trabalho - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Além de trazer referências natalinas de um jeitinho pernambucano, o especial faz um recorte realista da família brasileira. De acordo com a roteirista do “Bode de Natal”, Flavinha Marques, o telefilme contempla a atual situação financeira de muitos brasileiros. “O filme tem um discurso que se aproxima da vida real das pessoas. Optamos por sair da ideia de consumo, para mostrar como a festa é celebrada por muitos, sobretudo com a crise em que o País vive”, explicou.
Segundo a autora, o filme resgata situações de sua infância e de momentos que passou com a família no bairro da Mustardinha. “Meu pai trabalhava no Interior como médico, e costumava ganhar animais de alguns clientes como forma de pagamento. Achei que a passagem dava mote para o filme que conversa com situações cotidianas e faz uma brincadeira estética com uma linguagem popular”, acrescentou.
Movida pelas lembranças e relações afetivas com o espaço urbano, Flavinha se prepara para lançar, em 2017, o livro de poesia “Cidade de amor”. “Aprovado pelo Funcultura, trará poesias inspiradas na preservação e patrimônio das cidades”, contou. Ivan Moraes Filho foi convidado para participar do livro. No próximo ano, Flavinha irá se dedicar ao longa “Dora e Mané”, que mostrará a transformação ao longo das épocas. “Recebi convites para projetos e acredito que o ano que vem será produtivo”, completou.

Veja também

Artistas pernambucanos realizam exposição fotográfica em Fortaleza (CE)
Nordeste

Artistas pernambucanos realizam exposição fotográfica em Fortaleza (CE)

Depp afirma que acusações de agressão feitas por Heard são 'ultrajantes'
Julgamento

Depp afirma que acusações feitas por Heard são 'ultrajantes'