'Relicários: Memórias do Som' realiza 16 concertos eruditos em Olinda

Eventos começam neste domigo (3), no Museu de Arte Sacra de Olinda, e seguem até dezembro, com apresentações de intérpretes e grupos em sua maioria pernambucanos

Grupo Contracantos será o primeiro a se apresentar no projeto RelicáriosGrupo Contracantos será o primeiro a se apresentar no projeto Relicários - Foto: Divulgação

Cofre, relíquia, espaço para se guardar o que é precioso. O termo "relicário" foi o escolhido para denominar um projeto que vai levar, gratuitamente, música erudita até o público pernambucano, dentro do Museu de Arte Sacra de Pernambuco, em Olinda, numa completa experiência sensorial. Pelos ouvidos, pelos olhos, pelo tato, será possível se tornar repositório da arte. "Os sons viram memória no corpo - relicário da alma", descreve a idealizadora e coordenadora do projeto, Maria Aída Barroso.

A série de concertos "Relicários: Memórias do Som" abre neste domingo (3) e segue até dezembro. Serão 16 apresentações que vão trazer para o público música de qualidade, em diversos gêneros e estilos e executada por intérpretes residentes em Pernambuco. Os ingressos serão disponibilizados uma hora antes do início do concerto.

Leia também:
Projeto da Orquestra Sinfônica do Recife oferece aulas gratuitas de música erudita
Conservatório Pernambucano comemora 87 anos com programação gratuita
Museu de Arte Sacra de PE completa 40 anos e lança o seu primeiro catálogo

Segundo Maria Aída, em Pernambuco a oferta de eventos com esse tipo de música é escassa, "mas quando o público tem oportunidade de estar presente é muito receptivo, tem curiosidade de ver, comparece por gostar".

Ela conta que teve o cuidado de valorizar a "prata da casa", focando nas composições e intérpretes locais e mesclando a tradição da música de compositores como Bach, Vivaldi e Verdi às obras de autores da cena atual.

"Este é um espaço de extrema importância que nos foi aberto", afirma a cravista Maria Aída Barroso, que é professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e é a idealizadora e coordenadora do projeto, que tem patrocínio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura) e apoio do departamento de Música da UFPE.

   Partituras preciosas 

A ideia da série é apresentar um conceito de "museu vivo do som", já que a partitura preserva, em si, a música de diversas épocas e estilos, da mesma maneira que um relicário guarda objetos preciosos. "A sala onde os eventos vão acontecer é pequena, intimista, e tem uma porta aberta para a rua. É um espaço bem convidativo e temos a expectativa de gerar movimento em torno das apresentações", adianta Maria Aída.

Cada concerto terá uma hora de duração, apresentando peças para diferentes formações instrumentais e abrangendo as diversas famílias de instrumentos (cordas friccionadas, cordas percutidas, cordas pinçadas, sopros, voz, teclas e percussão). A maioria dos grupos e músicos são professores, alunos e ex-alunos da UFPE, e foram selecionados por sua atuação no meio cultural brasileiro.

Na apresentação deste domingo (3), o grupo vocal Contracantos preparou o "Moteto de Bach para cinco vozes", o maior e mais complexo do autor. Na sequência, também vai apresentar peças de compositores do século 20 e um conjunto de spirituals, com a participação especial de Bruno Mota (órgão) e Jardel Souza (viola da gamba).

O Contracantos foi criado por Flávio Medeiros, professor da UFPE, e se firmou como um dos principais grupos da região, com vários concertos realizados no Brasil e no exterior.

Já entre os grupos que vão se apresentar nas próximas edições estão o Duo Paula Bujes e Pedro Huff, Consort de Flautas, Grupo Instrumental Brasil, Grupo de percussão LaptoP, Grupo vocal Opus 4, Grupo Canção Brasil, Quarteto Variante e Quarteto Encore. O projeto também conta a participação do conjunto instrumental A Trupe Barroca, de Vitória (ES). 

Serviço:
"Relicários: Memórias do Som", abertura com grupo Contracantos
Museu de Arte Sacra de Pernambuco (rua Bispo Coutinho, s/n, Alto da Sé, Olinda)  Neste domingo (3), às 16h
Gratuito

 

Confira a programação

03 de junho - Coral Contracantos
10 de junho - Afluências Duo Paula Bujes e Pedro Huff
08 de julho - Consort de Flautas
22 de julho - GIB - Grupo Instrumental Brasil
29 de julho -  Maria Aida Barroso - cravo
05 de agosto - Trio Aquillon Luciana Câmara, Artur Ortenblad e Jardel Souza
19 de agosto - Trombones PE Quarteto
02 de setembro - Quarteto Variante
16 de setembro Quarteto Sopro Brasil
30 de setembro - A Trupe Barroca
14 de outubro - Quarteto Encore
21 de outubro - LaptoP (percussão)
04 de novembro Canção Brasil
18 de novembro - Antônio Nigro (piano solo)
02 de dezembro - Luiz Kleber Queiroz e Raquel Casado
16 de dezembro - Quarteto Opus 4

Veja também

Nem Covid nem Bolsonaro frearam Lei Rouanet, que ficou estável em 2020
Cultura

Nem Covid nem Bolsonaro frearam Lei Rouanet, que ficou estável em 2020

Record demite Marcos Mion após 11 anos na emissora, diz colunista
Famosos

Record demite Marcos Mion após 11 anos na emissora, diz colunista