Leilão

Retrato de Marilyn Monroe feito por Andy Warhol é vendido por US$ 195 milhões

Pintura se torna a segunda obra mais cara da história vendida em leilão, atrás de obra de Leonardo da Vinci

Foto: AFP

Um retrato de Marilyn Monroe feito por Andy Warhol em 1964 foi vendido nesta segunda-feira (9) por 195 milhões de dólares em um leilão da Christie's, batendo o recorde para uma obra do século XX, que era ostentado por "As Mulheres de Argel", do pintor espanhol Pablo Picasso.

A icônica pintura, intitulada "Shot Sage Blue Marilyn", torna-se, assim, a segunda obra mais cara da História vendida em leilão, atrás de "Salvator Mundi" atribuída a Leonardo da Vinci, pela qual seu atual proprietário, o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, segundo a imprensa, pagou 450,3 milhões de dólares em novembro de 2017.

Uma pessoa presente na sala lotada da sede da Christie's, no Rockefeller Plaza, em Nova York, levou a obra de Warhol, que pertencia à Fundação dos irmãos Thomas e Doris Ammann, de Zurique, Suíça, que a vendeu em um lote com outras 35 obras de artistas como Robert Ryman, Francesco Clemente, Sturtevant e Cy Twombly, além de outras obras de Warhol, para destinar o valor arrecadado a projetos de saúde e educação destinados a melhorar a vida dos menores no mundo.

O retrato de Marilyn tira do pódio a obra de Picasso, que alcançou US$ 179,4 milhões em maio de 2015, seguida de "Nu Couché", de Amedeo Modigliani, vendida por US$ 170,4 milhões também em 2015. O retrato quase dobrou o recorde de uma obra de Warhol, "Silver Car Crash", pela qual foram pagos 104,5 milhões em 2013.

O novo proprietário leva uma das "obras mais importantes" leiloadas em uma geração, e é "o ápice absoluto da arte pop americana", destacou o presidente da seção de arte dos séculos XX e XXI, Alex Rotter, quando a Christie's anunciou a venda, em março.

Veja também

Beyoncé libera música para campanha presidencial de Kamala Harris; entenda
eua

Beyoncé libera música para campanha presidencial de Kamala Harris; entenda

Globoplay aposta em interesse por novelas antigas
REPRISES

Globoplay aposta em interesse por novelas antigas

Newsletter