Réveillon Pé na Areia: Vanessa da Mata, uma 'contadora de histórias cantantes'

A cantora e compositora, que se apresenta no Réveillon Pé na Areia, em Maragogi (AL) nesta segunda-feira (31), conversou com a reportagem da Folha de Pernambuco

Cantora e compositora Vanessa da MataCantora e compositora Vanessa da Mata - Foto: Marcos Hermes/Divulgação

Vanessa da Mata é, certamente, uma das artistas mais versáteis da nossa música. Ora doce e intimista, ora flutuante em suas apresentações, sendo “agressiva” e contundente com o que quer passar ao seu público. Não à toa que ela (en)canta por onde passa, em qualquer palco que suba, inclusive em pleno Réveillon, numa vibe de praia, como será nesta segunda-feira, 31 de dezembro, quando será protagonista do Réveillon Pé na Areia, no Beach Club Pontal do Maragogi, em Alagoas.

“Só em pensar em me aquietar já me dá um comichão. Tenho hiperatividade, vivo em eterna ebulição e é isso que me leva a criar”, contou a cantora e compositora mato-grossense de 42 anos, em entrevista à Folha de Pernambuco, ocasião em que ela falou sobre temas diversos. Acompanhe:

“Apenas Mais uma de Amor”
Do seu mais recente trabalho “Caixinha de Música” – com faixas inéditas e releituras de hits da carreira – até a versão da música “Apenas Mais uma de Amor”, de Lulu Santos, lançada nas plataformas digitais, Vanessa percorre possibilidades e tem dado vazão a um cancioneiro romântico brasileiro, de outros artistas, que ela diz estar ouvindo ultimamente. A versão – feita durante suas andanças por ruas de Nova Iorque - pode ser a primeira de outras que virão, em um projeto independente de singles que serão lançados.

“Gosto de lançar versões de músicas que não são minhas quando elas realmente têm algo dizer”, ressaltou a artista mato-grossense, que gravou a sua interpretação da composição de Lulu, andando por ruas de Nova Iorque, “tranquila e feliz”.

Leia também:
Festas gratuitas são opções de Réveillon no Grande Recife
Pina e Boa Viagem receberão 2019 ao som de ritmos pernambucanos
Vai passar o Réveillon nas praias do Recife? Confira o que tem à disposição nas barracas

Universo digital da música
Questionada sobre o mercado digital da música, espaço que cada vez mais ela tem se inserido, Vanessa reconhece a importância desse nicho que, diferente de outros tempos, consegue valorizar o artista, remunerando-o, por exemplo. Mas, ao mesmo tempo, a cantora e compositora admite que gosta do ‘tato’ que só se tem com o trabalho físico.

“O mundo digital é, talvez, 95% do mercado hoje, entre público e artista. Já tinha antes sua importância e agora ainda mais porque somos remunerados pelo nosso público on line e acho isso, de certa forma, positivo. Mas gosto do encarte, do trabalho visual, do tato e acho que para as pessoas que gostam do trabalho físico do artista, ele sempre vai existir. Em algum momento eu quero lançar disco nesse formato, para as pessoas terem, mesmo que seja só pelo meu site”.

O Brasil em 2019
Para 2019, Vanessa da Mata se mostra preocupada com o Brasil. Ela ressalta o quanto a educação poderia ser um fator essencial de mudança, se por aqui o setor fosse prioridade.

“Não se pode comparar o quanto os europeus gostam de ler e o quanto, no Brasil, a queda é vertiginosa quando falamos de educação. Esse setor é inibido por governantes que precisam que as pessoas não estejam muito conscientes do que está acontecendo. Em conversas corriqueiras fica perceptível que muita gente não tem acesso a versões diferentes da mesma história, e isso é muito necessário”.

Pernambuco, terra da auto-estima
Pernambuco é uma fonte incessante de ruptura do comodismo musical. É um Estado que tem auto-estima e isso dá estrutura de consciência, de sabedoria, de personalidade própria e tem uma cultura que circula. Tenho visto, também, uma musicalidade mais consciente e uma força feminista mais politizada, inclusive com homens mais sensíveis à causa".

Vanessa por Vanessa
“Apesar de parecer serena, sou uma pessoa em eterna ebulição interior, preciso que o mundo não pare. Eu acho interessante colocar os sentimentos para fora, imaginar histórias, fantasiar sobre pessoas, fazer músicas e transformar isso na história de um monte de gente. Sou uma contadora de histórias cantantes. Não sei se conseguirei parar. Acho que vai ser difícil. Talvez nem morta (risos)”.

Réveillon Pé na Areia
Para a noite da virada, Vanessa, que completa 16 anos de estrada musical, levará inéditas como “Orgulho e Nada Mais”e “Gente Feliz”, esta última em parceria com o BaianaSytem. Releituras de "Love Will Tear us Apart" , "Mágoas de Caboclo" e "Vá Pro Inferno com Seu Amor", gravadas, respectivamente, por Orlando Silva e pela dupla Milionário e José Rico, também integram os hits da noite de Réveillon. Além, é claro, de "Ai, Ai, Ai", "Amado", "Boa Sorte/Good Luck", "Não Me Deixe Só" e "Ainda Bem".

A sexta edição da festa em Maragogi vai contar, também, com discotecagem de Lala K e serviço de open bar e mesa de frios. A produção do evento é da pernambucana Go! Elephants.

Serviço
Reveillon Pé na Areia, nesta segunda-feira (31), às 22h30
Atrações: Vanessa da Matta e DJs Lala K e Da Matta, no Beach Club Pontal do Maragogi
Ingressos: R$ 310, à venda no Haus Bar, Loja Avesso e online através do site Sympla

Veja também

Lucas Rangel assume namoro e fãs comparam namorado com Noah Centineo
Famosos

Lucas Rangel assume namoro e fãs comparam namorado com Noah Centineo

Museu da Casa Brasileira vai ficar sob o comando da Fundação Padre Anchieta
Memória

Museu da Casa Brasileira vai ficar sob o comando da Fundação Padre Anchieta