Roberta Sá canta Gilberto Gil em show no Teatro RioMar

"Giro", disco de inéditas do compositor baiano, conta com parcerias entre Roberta, Gil e Jorge Ben

Cantora Roberta SáCantora Roberta Sá - Foto: Nana Moraes/Divulgação

A peculiar suavidade da voz de Roberta Sá se entremeia entre a força e o deleite de cantar Gilberto Gil em seu “Giro” (Deck, 2019), quinto álbum da artista potiguar concebido a partir de um bate-papo regado a música durante um despretensioso almoço de domingo ao lado do compositor baiano.

Era 2016 e começava a ser concebido o disco de inéditas assinadas por ele e apresentadas ao Recife neste domingo (2), no Teatro RioMar. “Um grande presente do disco foi ter aprendido a fazer música sem peso nenhum. Claro que, em algum momento caía a ficha de que o Gil tinha feito todas as canções e que tava ali com a gente no estúdio", contou ela em entrevista à Folha de Pernambuco.

Leia também:
Jord Guedes faz temporada de shows em Recife e Olinda
Deborah Blando: 'Música no Brasil virou pornográfica ou de corno'


Desde a primeira faixa, homônima ao nome do álbum e que carrega as iniciais de ambos, entre os sambas, bossas e xotes,“Gi-Ro” também expõe a sintonia de Roberta ao seu viés de compositora, quando assina com Gil "Fogo de Palha", "Xote da Modernidade", que contou também com Bem Gil, "Outra Coisa", com participação do pernambucano Yuri Queiroga e "Cantando as Horas", esta última considerada uma referência em sua trajetória de composições. "Todas (as faixas) são especias e têm uma história. Mas ela foi a primeira das nossas quatro parcerias. Ter virado parceira do Gil é um marco na minha trajetória", confessou.

Roberta também "carrega a culpa" do retorno da parceria entre Jorge Ben e Gil, na canção "Ela Diz Que Me Ama", o primeiro single do álbum. Em um processo que ela chamou de afetuoso, pouco mais de quatro décadas depois, quando a dupla fez "Gil & Jorge: Ogum, Xangô" (Philips Records, 1975).

"Essa parceria é um sonho que eu não ousei sonhar. Não se sonha ter onze inéditas do Gil. Sonhava ter uma talvez. E ser responsável pela retomada da parceria dele com o Jorge, então! São dois gênios que inventaram cada um sua escola de fazer música e tocar violão. Eu só agradeço por ter testemunhado esse momento", enfatizou a artista "escolhida" pelo artista baiano para entoar nos palcos afora mais uma "leva" do seu processo criativo.

Serviço
Roberta Sá em “Giro”

Domingo (2), 20h, no Teatro RioMar
Av. República do Líbano, 251, 4º piso, RioMar Shopping
Ingressos a partir de R$ 70 (meia-entrada balcão), à venda na bilheteria do teatro e no site Uhuu

Giro  - Roberta Sá:










Veja também

Saiba o que muda para Hollywood agora que a China bateu os EUA em bilheteria
Audiovisual

Saiba o que muda para Hollywood agora que a China bateu os EUA em bilheteria

A psicodelia moderna de Petrônio e as Criaturas em novo Ep
Música

A psicodelia moderna de Petrônio e as Criaturas em novo Ep