CULTURA

Secretaria de Cultura aprovou livro sobre história das armas no Brasil

Projeto financiado pela Lei Rouanet tem a fabricante Taurus como principal apoiadora; empresa investiu R$ 336 mil na produção da obra

André Porciuncula André Porciuncula  - Foto: Câmara de Salvador

A Secretaria Especial de Cultura aprovou a edição de um livro sobre a história das armas no Brasil financiada pela Lei Rouanet, que prevê incentivos fiscais para projetos e ações culturais. A iniciativa tem como principal apoiador a empresa Taurus, responsável por investir R$ 336 mil na produção da obra. A informação foi revelada pela Agência Pública e confirmada pelo Globo.

O projeto foi admitido em dezembro do ano passado pelo então secretário de Fomento e Incentivo à Cultura André Porciúncula, pré-candidato a deputado federal pelo PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, pela Bahia. O valor acertado inicialmente para captação foi de R$ 427.273,11.

Segundo o resumo do projeto, a proposta "visa a edição de um livro inédito intitulado ARMAS & DEFESA: A História das Armas do Brasil". A previsão era de uma tiragem de 3 mil exemplares com 120 páginas. Conforme descrito, além da obra impressa, seriam disponibilizadas versões em e-book e áudiolivro, ambas com download gratuito, como medidas de acessibilidade.
 

A síntese informa ainda que a iniciativa vislumbra a adoção de protocolos sanitários e reitera que "não será solicitado passaporte sanitário ou qualquer outra forma de medida restritiva e/ou discriminatória em nenhuma atividade proposta no presente projeto". Em novembro passado, o ex-secretário especial de Cultura Mario Frias assinou portaria que vedava a exigência do passaporte sanitário para execução ou participação de evento cultural.

Uma nova portaria publicada no Diário Oficial da União em março deste ano determinou a redução do valor aprovado para o projeto em pouco mais de R$ 6 mil. Com a medida, a quantia foi fixada em R$ 421.111,11.

De acordo com dados disponíveis na plataforma SalicNet, a proposta recebeu apoio de R$ 336 mil da fabricante de armas Taurus. A verba foi liberada para movimentação em 11 de março. A iniciativa foi sugerida por Rodrigo Cezar Moreira Kling, sócio da Alexa Editora, de São Paulo.

Conforme disposto em lei, a captação de recursos requer que os projetos culturais atendam a, ao menos, um objetivo entre incentivo à formação arstística e cultural, fomento à produção cultural e artística, preservação do patrimônio artístico, cultural e histórico, estímulo ao conhecimento dos bens e valores culturais, além de apoio a outras atividades culturais e artísticas.

O Globo questionou a Secretaria Especial de Cultura sobre o projeto, mas não obteve retorno até esta publicação. Também procurada, a Taurus ainda não se manifestou. O espaço segue aberto.

Veja também

Adidas retira modelo Bella Hadid de campanha por polêmica sobre Gaza
MODA

Adidas retira modelo Bella Hadid de campanha por polêmica sobre Gaza

Entenda por que Davi, do BBB 24, está sendo "cancelado" nas redes sociais
Davi do BBB

Entenda por que Davi, do BBB 24, está sendo "cancelado" nas redes sociais

Newsletter