Seleção de sambas para Jair Rodrigues em novo trabalho de Luciana

Luciana Mello faz homenagem ao pai, que sonhou em vê-la cantando o ritmo

Bruno AraújoBruno Araújo - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

“No céu agora eu vejo uma estrela/ que além de brilhar, sorri contente”, diz os versos da música “Estrela Sorridente”, que Jair Oliveira escreveu em homenagem ao pai, Jair Rodrigues, morto em 2014. A canção integra o álbum “Na Luz do Samba”, o primeiro de Luciana Mello dedicado ao ritmo destacado no título.

O trabalho é um tributo ao pai, que sempre sonhou vê-la cantando samba. A composição de Jair Oliveira entrou no disco quase de última hora. “Havia uma outra faixa que era exatamente uma homenagem ao meu pai, mas não consegui autorização para gravar. Então, o meu irmão fez duas músicas, e escolhi ‘Estrela Sorridente’, que achei a cara dele.”

Das canções conhecidas e que já foram interpretadas por Jair Rodrigues, Luciana escolheu “Somente Sombras”, primeira parceria de Arlindo Cruz e Zeca Pagodinho, que ela registrou com participação de Alcione. A seleção ainda tem “Escasseia”, sucesso de Beth Carvalho, e “Sou Eu”, parceria de Moacir Santos com Nei Lopes. “Escolhi essas músicas com o coração. Acabei revisitando emocionalmente o repertório do meu pai, lembrando de coisas antigas que ele sempre quis gravar”, conta Luciana. Até a filha da cantora, Nina, de 6 anos, ajudou. “Ela ficou cantarolando “Roda Baiana” e pediu para incluir a música”, diz Luciana, que gravou a canção com a menina.

Tributo
O disco “Na Luz do Samba”, lançado por Luciana Mello, é só uma primeira homenagem da família Rodrigues a Jair, que morreu em 2014. A cantora acredita ser importante manter viva a obra de seu pai. “Pensamos muito sobre isso, eu, meu irmão e minha mãe. Temos diversas ideias de como continuar levando o nome dele para novas gerações. É preciso mostrar o grande legado musical que ele deixou. Muita gente só conhece um pedaço dessa caminhada, mas até a morte dele foram 55 anos de carreira, recheados de discos e histórias”, lembra Luciana.

Um dos exemplos que ela cita são as obras dedicadas a Elis Regina, que retratam a parceria da cantora com Jair Rodrigues. Tanto no espetáculo “Elis - A Musical” (que já passou por São Paulo) quanto no filme “Elis”, que estreia no dia 24 de novembro, Jair Rodrigues aparece, interpretado pelo ator Ícaro Silva. O programa de TV “O Fino da Bossa” (Record), no qual os dois brilharam em 1965, é lembrado.

 

Veja também

'Fazer o certo requer coragem', diz Dani Calabresa sobre acusações contra Marcius Melhem
Assédio

'Fazer o certo requer coragem', diz Dani Calabresa sobre acusações contra Marcius Melhem

Mais de 40 filmes de terror nacionais são exibidos em mostra online
Cinema

Mais de 40 filmes de terror nacionais são exibidos em mostra online