A-A+

Sérgio Mamberti: provocações no palco como o velho Sr. Green

A montagem 'Visitando o Sr. Green' será apresentada neste sábado (6) e domingo (7), no Teatro RioMar

'Visitando o Sr. Green' traz de volta ao Recife o ator e produtor Sérgio Mamberti'Visitando o Sr. Green' traz de volta ao Recife o ator e produtor Sérgio Mamberti - Foto: Divulgação

Comecemos pela ousadia dos neologismos e vamos “mambertiar a arte”. Vai que do lado de cá a vida se torne mais leve e mesmo nos dramas, o humor (refinado) consiga provocar as tantas calejadas relações humanas. Pelo menos é dessa forma que há 63 anos o ator, diretor e produtor Sérgio Mamberti sobe aos palcos, provoca realidades e instiga encontros. Tal qual o faz no espetáculo “Visitando o Sr. Green”, em cartaz neste sábado (6) e domingo (7) no Teatro RioMar.

Originalmente montado pelo teatrólogo norte-americano Jeff Baron, a peça já foi representada em mais de vinte países e passou por pelo menos duas centenas de produções, incluindo a do Brasil em 2000, com Paulo Autran no papel principal de um velho e solitário judeu ortodoxo, o Sr. Green, e Dan Stulbach, como Ross Gardiner - atuações que cabem desde 2015 a Mamberti e Ricardo Gelli, respectivamente.

Leia também:
'Cicatriz' em curta temporada no Teatro Barreto Junior
Sérgio Mamberti e Rodrigo Lombardi encenam 'Um panorama visto da ponte'


“É um espetáculo extremamente questionador. As pessoas têm uma boa possibilidade de rir com situações provavelmente já vividas de alguma forma, porque trata de relações humanas, com provocações sobre diversidade sexual, intolerância e conexão entre gerações”, ressaltou ele, em conversa com a Folha de Pernambuco.

Dirigida por Cassio Scapin - que também esteve à frente com Sérgio, quando atuava como o cientista Dr. Victor, do "Castelo Rá-Tim-Bum" - a encenação retrata, a partir de um acidente de trânsito em ruas de Nova York, a aproximação entre o Sr. Green e um jovem que, condenado por um quase atropelamento, precisa prestar serviço comunitário à vítima por alguns meses.

“Inicialmente o velho não aceita, mas, aos poucos, se estabelece uma relação, temas contundentes aparecem e surgem questões importantes a serem discutidas. Uma série de elementos vão encantar e trazer reflexão, como o teatro deve ocasionar sempre”, completa o quase octagenário Sérgio Mamberti - em 22 de abril ele completa 80 anos de vida (e resistência).

Referência como ator, sua atuação política também o evidencia como exemplo de quem defende a cultura como luz para tempos incertos. Militante de políticas públicas que exaltem nossas produções e difundam a riqueza artística brasileira, Mamberti espera que “a liberdade de expressão arduamente conquistada em períodos anteriores, se mantenha viva”, e propõe que “não fiquemos inertes” diante garantias que são claramente expostas pela Constituição Federal de 1988.

“São tempos difíceis batendo à porta. Mas somos de resistência e estamos aqui para fazer com que a cultura se manifeste claramente e não seja relegada ao exílio, num País como o nosso, de uma diversidade cultural tão ampla, invejável para qualquer nação de primeiro mundo”.

Recentemente ele esteve no Recife e com o ator Rodrigo Lombardi trouxe a montagem “Um Panorama Visto da Ponte” - do dramaturgo norte-americano Arthur Miller. Assim como “Sr. Green”, provocativa e reflexiva, tanto quanto o é Sérgio Mamberti, como artista e ativista social ao longo de suas décadas de carreira e de vida. “(...) mas ainda falta muita coisa para fazer”. “Mambertiemos” aliviados, então.

E que venha o festival de teatro em Moscou e sua participação em julho; que tenhamos a sorte de folhear páginas de suas memórias no livro que já está sendo escrito por ele. Seja bem-vinda também a direção musical de um clássico da literatura brasileira (que ele preferiu não revelar e deve circular ainda este ano).

Além de exposição em São Paulo, ocupações “mambertianas” no Itaú Cultural - previstas para 2020 - e outras tantas atuações contundentes desse velho hoje e amanhã Sr. Green e que poderá continuar sendo quem quiser ser, quando e por onde desejar ser “ (...) estamos ativos e vivos. Cultura é resistência. Teatro é resistência”.

Serviço:
Peça "Visitando Sr. Green"

Quando: neste sábado (6), às 21h e domingo (7), às 19h
Teatro RioMar (av. República do Líbano, 251, 4º Piso - RioMar Shopping)
A partir de R$ 50 (meia-entrada/balcão nobre)

Veja também

Cantor Giovanne Salles é encontrado morto no dia do aniversário de 30 anos
Luto

Cantor Giovanne Salles é encontrado morto no dia do aniversário de 30 anos

Curso de elaboração e gestão de projetos culturais abre inscrições para moradores do Agreste
Funcultura

Curso de elaboração e gestão de projetos culturais abre inscrições para moradores do Agreste