Série 'Anos Incríveis' tem todos os episódios no YouTube

Os cento e catorze episódios, das seis temporadas, são um bom passatempo na quarentena

Gabriel Canfild, colunista de cinemaGabriel Canfild, colunista de cinema - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Inúmeros jovens dos anos 1990 assistiram pela TV Cultura às aventuras de Kevin Arnold e o American Way for Life. A série esquecida por muitos é um ótimo passatempo para a quarentena, com seis temporadas e cento e catorze episódios disponíveis no YouTube.

A série foi lançada originalmente pela ABC (Rede de comunicação americana) em 31 de janeiro de 1988. Considerada uma das 20 melhores séries de televisão já feitas, é perceptível que o seu formato influenciou muitas outras posteriores.

Kevin é um garoto que passa pelos desafios da adolescência em um subúrbio. Com uma irmã hippie, um irmão completamente babaca, pai severo e mãe dona de casa, ele narra as suas dúvidas, descobertas e conflitos que o estilo de vida americano dispõe à sua juventude.

 

"Anos Incríveis" - Crédito: Divulgação

Seu primeiro beijo, como ele aprendeu a tocar piano ou sobre o professor maluco e paranoico, ele conta os acontecimentos com comentários sarcásticos e tenta explicar algumas decisões banhadas em hormônios. 

A série foi cancelada por causa de uma acusação de assédio sexual. Uma figurinista acusou Fred Savage, o protagonista, com então dezesseis anos. A ABC foi obrigada a parar as gravações.

No Brasil, foi lançada pela TV Cultura e, mais tarde, foi transmitida pela TV Bandeirantes, MultiShow e a Rede 21. No Rotten Tomatoes (Site de críticas), a série tem aprovação de cem por cento na primeira e sexta temporada, mas não há dados das outras.

Veja também

Morre o ator e diretor de teatro Carlos Reis, conhecido por interpretar Jesus na Paixão de Cristo
Luto

Morre o ator e diretor de teatro Carlos Reis, conhecido por interpretar Jesus na Paixão de Cristo

'Luca', da Pixar, é visto como uma alegoria gay ao mostrar amizade de dois adolescentes
Animação

'Luca', da Pixar, é visto como uma alegoria gay ao mostrar amizade de dois adolescentes