Série 'O Mecanismo' gera polêmica e boicote à Netflix

Repercussão da trama inclui manifestações de diferentes grupos políticos, entre pedidos de boicote e cancelamento das assinaturas e mensagens de apoio

"O Mecanismo", série brasileira da Netflix sobre a Operação Lava Jato"O Mecanismo", série brasileira da Netflix sobre a Operação Lava Jato - Foto: Divulgação/Netflix

Baseada no Livro 'Lava jato: o juiz Sérgio Moro e os bastidores da operação que abalou o Brasil', de Vladimir Netto, a série "O Mecanismo", lançada pela Netflix na última sexta-feira (23), estreou acompanhada de um arsenal de polêmicas. A estreia da produção dirigida por José Padilha (o mesmo de "Tropa de Elite") ocorre em meio ao julgamento do recurso de defesa do ex-presidente Lula sobre o tríplex do Guarujá, em São Paulo, e reações como o apedrejamento da sua caravana na região Sul.

As reações vieram de todos os lados, deixando a série sobre os bastidores da operação que está em vigor desde 2013 envolta em movimentos que variam entre pedidos de boicote e cancelamento das assinaturas da plataforma de streaming a mensagens de apoio.

Em texto compartilhado nas redes sociais e em posts com a hashtag #cancelanetflix, grupos de esquerda pedem para que os telespectadores entrem no site da empresa e concedam classificação negativa à série para que os outros "percam o interesse" pelo produto. Para eles, trata-se de "uma manipulação política criada pela direita para promover as aberrações da Lava Jato". Em nota oficial divulgada em seu site, a ex-presidente Dilma Rousseff afirma que "O Mecanismo" é um "mecanismo de José Padilha para assassinar reputações".

Leia também:
'O mecanismo', nova série brasileira da Netflix, ganha primeiro trailer
'No Brasil, a corrupção faz parte da lógica política', diz José Padilha sobre 'O Mecanismo'
Premiação do Globo de Ouro deixa Netflix em posição de derrota

A professora do curso de Direito da Faculdade de Direito (FDR) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Liana Cirne Lins classifica o boicote como uma forma de protesto pouco praticada no Brasil. Ela, que cancelou a sua assinatura da Netflix no domingo (25), defende o gesto como um instrumento do qual dispõe para se comunicar com quem era sua prestadora de serviços. “Como consumidora, é um dispositivo legítimo que possuo para me manifestar, para dizer que não pactuo com isso e que ela errou, do meu ponto de vista”, disse.

Liana afirma ainda que o seriado afeta o processo eleitoral brasileiro, pois ataca um pré-candidato à Presidência da República. “O Padilha [diretor de “O Mecanismo”] simplesmente inverteu os personagens. Uma fala do Romero Jucá é apresentada como sendo do personagem do ex-presidente Lula. Isso é muito grave”, critica. Ela se refere a uma fala do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre “estancar a sangria”, dita à época do processo do impeachment de Dilma Rousseff, que foi atribuída a Lula na série. “Lula é pré-candidato e esse seriado tem objetivo deliberado de prejudicar a sua candidatura”, completa.

“Se fosse um seriado que tivesse fidelidade aos fatos, até que seria aceitável, mas torturar os fatos e apresentar a mentira como se fosse verdade é inaceitável”, finaliza Liana, que afirma não ter “problema algum em ficar sem Netflix”. 

Presidente do grupo Direita Pernambuco, o estudante de História Gustavo Henrique classifica o boicote como uma “babaquice”. “Gritam tanto por liberdade, mas querem restringir a liberdade da Netflix. Se fala tanto de liberdade, mas na hora de exprimir a liberdade sobre a opinião de um determinado fato, eles [a esquerda] cessam a liberdade do indivíduo”, criticou o universitário.

Gustavo afirma que o boicote é um instrumento da democracia e qualquer pessoa tem esse direito. “A série é um mecanismo de produção de informação e o boicote é um direito. Mas, por que restringir as informações sobre a Lava Jato no formato de série?”, questiona. Para rebater a campanha contrária a “O Mecanismo”, o presidente do Direita Pernambuco promete lançar um movimento de apoio. “Tentarei fazer um campanha reversa, para que as pessoas avaliem muito bem a série e venham mais assinantes”, completou.



A série
A sinopse oficial de "O Mecanismo" rotula a série como "inspirada em fatos reais". Protagonizada por Selton Mello, Caroline Abras e Enrique Díaz, tem oito episódios de aproximadamente 40 minutos cada. A produção fala sobre as investigações da Operação Lava Jato de suspeitas de corrupção envolvendo estatais e empreiteiras, no que se tornou um dos maiores escândalos políticos da história do Brasil. 

A reportagem entrou em contato com a Netflix Brasil e aguarda posicionamento sobre o caso. Na ação de divulgação da série, a empresa montou, no aeroporto de Brasília, uma loja fake  "da Corrução".

 

Veja também

Atriz do filme 'Rebecca', da Netflix, teve ataques de pânico após fim das gravações
Streaming

Atriz do filme 'Rebecca', da Netflix, teve ataques de pânico após fim das gravações

De look novo, Andressa Urach adota postura liberal e critica evangélicos
Celebridades

De look novo, Andressa Urach adota postura liberal e critica evangélicos