Premiação

Série 'The Handmaid's Tale' bate recorde negativo no Emmy e fica sem troféus

A trama atualmente está em sua 4ª temporada e já foi renovada para o 5º ano

Elisabeth Singleton Moss é uma das atrizes que compõe o elenco da sérieElisabeth Singleton Moss é uma das atrizes que compõe o elenco da série - Foto: Reprodução/Instagram

A série "The Handmaid's Tale" bateu um recorde negativo na edição 2021 do Emmy, premiação que aconteceu no último domingo (19), nos Estados Unidos. Após 21 indicações, saiu sem nenhum troféu.

A trama atualmente está em sua 4ª temporada e já foi renovada para o 5º ano. O cenário até então era bem diferente. Em 2017, ela levou oito estatuetas. A maior marca negativa era de "Mad Men", que em 2012, após receber 17 indicações, não levou nenhum prêmio para casa, segundo a Variety.

A história central da série gira em torno de um governo totalitário da República de Gileade, uma teocracia cristã, que domina o que um dia foi um território dos Estados Unidos, em meio a uma guerra civil ainda em curso.

As taxas de fertilidade caem em todo o mundo por conta da poluição e de doenças sexualmente transmissíveis. Gilead é o nome dado a uma parte do que eram os Estados Unidos depois de serem tomados por um grupo de fanáticos religiosos.

Eles forçavam mulheres a terem filhos com diversos homens, num momento em que o mundo vive uma inexplicada crise de fertilidade. A trama pode ser vista pelas plataformas Globoplay, Foxplay e Paramount+.

A primeira temporada de "The Handmaid's Tale" conta quase todos os acontecimentos do livro original "O Conto da Aia", em 1985. Esconde apenas o anexo final, que dá conta de que toda a história é baseada nas supostas memórias de uma criada anônima, encontradas muito tempo depois e estudadas por um especialista em "assuntos de Gilead", transformado em gênero acadêmico.

Quem brilhou mesmo no Emmy foi a Netflix que finalmente faturou uma das três principais estatuetas da maior premiação da TV e do streaming americanos –na verdade, o ineditismo veio em dose dupla, com prêmios de melhor série de drama, para "The Crown", e minissérie, para "O Gambito da Rainha".

Da tríade dos principais troféus do Emmy, o gigante do streaming só ficou sem o de série de comédia, que foi para o Apple TV+ e seu "Ted Lasso", num ano em que nada nessa categoria empolgava muito –"Cobra Kai" e "Emily em Paris" entraram na lista das melhores comédias do ano, o que diz muita coisa.

Apesar das 30 indicações recebidas nos últimos anos nessas três seções, e de produções aclamadas que quase chegaram lá –como "House of Cards", "Stranger Things" e a própria "The Crown"–, a Netflix foi, ano após ano, desbancada, em especial por sua rival HBO.

E a emissora americana até tentou acabar com a festa da Netflix de novo, liderando a quantidade de indicações deste Emmy, mas acabou ficando, pela primeira vez em uma década, sem vencer em melhor drama, melhor comédia ou melhor minissérie –desde 2011, a HBO vinha arrematando ao menos um dos prêmios anualmente.

No quadro geral, a Netflix também saiu à frente da concorrência, vencendo 44 estatuetas no total –dez hoje e outras 34 ao longo da última semana, quando prêmios técnicos foram entregues. A HBO ficou com 19, o Disney+, com 14, e o Apple TV+, com 11.

Veja também

Manuscrito de 'O Pequeno Príncipe' será exibido na França em 2022França

Manuscrito de 'O Pequeno Príncipe' será exibido na França em 2022

Mulher que fingiu ser Alessandra Ambrósio e aplicou golpe em italiano tinha outro amante Catfish

Mulher que fingiu ser Alessandra Ambrósio e aplicou golpe em italiano tinha outro amante