Silvero Pereira volta ao Recife com a peça 'BR-Trans'

Espetáculo 'BR -Trans', em cartaz na Caixa Cultural, aborda o cotidiano de travestis, transexuais e artistas transformistas

Silvero Pereira estrela "BR-Trans"Silvero Pereira estrela "BR-Trans" - Foto: Jose Britto/Folha de Pernambuco

Escrita e encenada pelo ator cearense Silvero Pereira, a peça "BR-Trans" está de volta ao Recife, após passagem pelo Festival Trema! em 2015. Com direção da gaúcha Jezebel de Carli, o espetáculo leva aos palcos o cotidiano de travestis, transexuais e artistas transformistas brasileiros, através de narrativas reais e ficcionais. Desta vez, a obra cumpre temporada na Caixa Cultural, desta quinta-feira (31) até 9 de fevereiro, com sessões de quinta-feira a sábado, sempre às 20h.

O ponto inicial da pesquisa que envolveu a montagem foi a inquietação do artista diante da discriminação que amigos transformistas sofriam na cena teatral de Fortaleza. "O preconceito era tão naturalizado, que muitas dessas pessoas acabavam desistindo do teatro e seguindo carreira em boates", conta.

O incômodo gerou um monólogo - "Flor de dama", em 2002 - e o Coletivo As Travestidas. Dez anos depois do primeiro solo, Silvero sentiu a necessidade de conceituar em uma metodologia as práticas vivenciadas com o grupo, transformando isso em espetáculo.

Leia também:
Festival do Teatro Brasileiro traz a cena teatral de Brasília ao Recife
'Bia Desenha', animação pernambucana, chega à TV
Pernambucana Brenda Lee é símbolo no Google para Dia da Visibilidade Trans


Contemplado com o edital Interações Estéticas 2012, do então Ministério da Cultura, o ator vivenciou uma residência artística no Rio Grande do Sul. "Queria saber as convergências e divergências desse universo nos polos Nordeste e Sul. Durante um mês, experimentei a vida na noite, no dia a dia, nas universidades, conhecendo as histórias dessas meninas. O resultado em cena é a minha experiência em contato com esses relatos, que ficaram registrados na minha alma e no meu corpo", explica.

A estreia "BR-Trans" surgiu em 2013 e, desde então passou por diversas cidades brasileiras, chegando a ultrapassar fronteiras indo a Alemanha e Estados Unidos.
Foi graças a essa peça que Silvero recebeu o convite para participar da novela "A força do querer", exibida em 2017, na TV Globo.



"Fiz duas temporadas no Rio de Janeiro. A Glória Perez foi assistir a uma apresentação e, depois, me ligou dizendo que gostaria de criar uma personagem para mim na novela", relembra o artista, que deu vida à travesti Elis Miranda na trama das 21h.

Sem planos para volta à telinha, o cearense está empenhado em circular com seu monólogo e nas gravações do filme "Odara", protagonizado pela atriz transexual Carol Marra. Além disso, ele está no elenco de "Bacurau", novo longa-metragem do pernambucano Kleber Mendonça Filho, que deve ser lançado ainda em 2019.

Representatividade

Com o Coletivo As Travestidas, Silvero coloca em prática sua visão de teatro como forma de promover discussões urgentes. A trajetória do grupo, que reúne diversos prêmios, não teve um começo fácil. "Nossas primeiras temporadas tinham entre quatro e seis pessoas na plateia. A própria classe artística via o nosso trabalho com preconceito. Hoje em dia, após quase 16 anos em ação em Fortaleza, somos o grupo de teatro mais aclamado da cidade", comemora.

Para Silvero, o lugar de resistência ocupado por artistas como Renata Carvalho - cuja peça foi retirada da programação do Janeiro de Grandes Espetáculos - aponta para uma mudança em curso. "É muito recente essa afirmação da transexual dentro do teatro e o quanto elas estão lutando por isso. Renata está abrindo caminho para que outras não vivam essas questões no futuro. O preço que eu pago em cena, hoje em dia, é muito menor do que as gerações passadas já pagaram. A arte é sem sombra de dúvidas, a maneira mais ágil e potente de gerar provocações", defende.

Serviço

Espetáculo "BR-Trans”
Desta quinta-feira (31) a 9 de fevereiro; de quinta-feira a sábado, às 20h
Na Caixa Cultural (Av. Alfredo Lisboa, 505, Praça do Marco Zero, Bairro do Recife)
R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)
Informações: (81) 3425-1915

Confira outras opções de peças teatrais na Agenda Cultural

Veja também

Jane Fonda receberá prêmio honorário do Globo de Ouro por seu ativismo social
Prêmio

Jane Fonda receberá prêmio honorário do Globo de Ouro por seu ativismo social

Festival Macuca das Artes acontece neste sábado
Festival

Festival Macuca das Artes acontece neste sábado