Dhu Moraes diz que sente sofrimento de seus ancestrais em 'Novo Mundo'

Atriz está na reprise da novela exibida pela Rede Globo

Dhu Moraes, atrizDhu Moraes, atriz - Foto: Reprodução/Instagram

Dhu Moraes, 66, acha "extremamente oportuna" a atual reprise na Globo da novela "Novo Mundo", exibida originalmente em 2017. A intérprete da escrava Idalina acredita que a trama tem o poder de reavivar a memória dos brasileiros sobre a história da nação, "que sempre foi de muita luta diante tanta desigualdade e desonestidade, que permanecem até os dias de hoje".

"Tive muitas cenas difíceis, mas duas foram marcantes. Uma foi quando Idalina assisti seu filho ser açoitado", conta. "A outra foi quando a própria Idalina foi açoitada, o que me fez sentir o quanto os meus ancestrais sofreram com a crueldade da escravidão."

Leia também:
Novelas na América Latina em hiato devido ao coronavírus
Reprises de novelas superam expectativas de audiência na quarentena
Globo vai reprisar' Novo Mundo', 'Totalmente Demais' e 'Fina Estampa'

A atriz conta que várias cenas da novela exigiram bastante dela, e que anseia rever o momento em que Idalina calça sapatos pela primeira vez na trama, para ir ao teatro. "Neste momento Idalina realiza o seu sonho, conhece a sensação de liberdade, de ser livre e dona de sua vida e o segundo porque ela calça sapatos para ir ao teatro que é o meu berço de artista. O teatro foi onde comecei a minha carreira e me descobri como atriz , além de cantora", diz.

Ela também lembra com carinho da novela por ter reencontrado Isabelle Drummond e César Cardadeiro, com quem trabalhou por muito tempo em "Sítio do Pica Pau Amarelo" (Globo). Conta ainda que, pelas redes sociais, tem recebido feedbacks positivos dos espectadores.

 

Veja também

'Surpresa' de Bonner não era aposentadoria, mas campanha institucional
Jornal Nacional

'Surpresa' de Bonner não era aposentadoria, mas campanha institucional

Danton Mello diz que atuar na infância não o privou de nada
VIVA

Danton Mello diz que atuar na infância não o privou de nada