Tita apresenta 'Planta do Pé' no Janeiro de Grandes Espetáculos

Filha dos aclamados artistas Antônio Nóbrega e Rosane Almeida, ela foi aluna dos mestres pernambucanos Meia Noite, Pedrinho Salustiano e Paulinho do Caboclinho Sete Flexas

Tita mescla técnica contemporânea às artes tradicionais brasileirasTita mescla técnica contemporânea às artes tradicionais brasileiras - Foto: Marcelo Macaue/Divulgação

Maria Eugênia, a Tita, há décadas tem um caso de amor com Pernambuco, e é pura felicidade ao anunciar sua apresentação deste domingo (02), dentro do festival "Janeiro de Grandes Espetáculos". Filha dos aclamados artistas Antônio Nóbrega e Rosane Almeida, ela traz "Planta do Pé" para o Recife após cinco anos. 

"O espetáculo foi criado a convite do Festival de Dança do Recife, em 2014, e desde então não o realizei aqui. Passou por vários ajustes, está num formato que gosto mais. E agora estou podendo fechar este ciclo, me apresentando aqui, onde aprendi tudo o que sei", comemora.

Leia também:
Espetáculo de dança sobre Frida Kahlo é atração do Janeiro de Grandes Espetáculos
Janeiro de Grandes Espetáculos apresenta atrações de sua 26ª edição
Ariano Suassuna e Antônio Nóbrega: um mestre reverencia outro, no palco da Caixa Cultural


"Planta do Pé" mescla falas e coreografias, mostrando as possibilidades cênicas das danças populares brasileiras, aliadas a referências artísticas contemporâneas. "É um apanhado de tudo que sei e reflito até este momento. Eu organizei através da minha experiencia compartilho com o público essa aprendizagem, essas releituras da dança", descreve Tita. 

Após cinco anos, Tita volta ao Recife com 'Planta do Pé'

Após cinco anos, Tita volta ao Recife com 'Planta do Pé' - Crédito: Marcelo Macaue/Divulgação

Além do projeto em si, ela vem realizando uma proposta simultânea, que se chama "Cabeção" e foi retirada de uma das cenas do espetáculo. Desde setembro de 2019, ela caiu na estrada num pequeno motor home. De carro, vem percorrendo o Brasil, se apresentando em cidades e povoados. "Faço o 'Cabeção' livremente, em pontos turísticos, combinado a manifestações artísticas daquela cidade. É um projeto de interação com a cultura local. Mais livre, menos planejado. Viajo sozinha mas nem parece, porque o 'Cabeção' é um ótimo fazedor de amigos", ri.

Ela já passou por Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo, Bahia, Pernambuco e Paraíba, percorrendo 32 cidades. Aqui em Pernambuco, por exemplo, já esteve em Tabira, São José do Egito, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada, todos localizados no Sertão.
Entre as danças apresentadas por ela, estão o Cavalo Marinho, o Maracatu Rural, o Caboclinho, o Coco de Zambê e o Samba de Parelha, entre outras. A predominância é de danças pernambucanas, mas há exemplos de outros estados, também. "As minhas maiores referências na dança são todas daqui. Tive professores valiosos, como Paulinho, do Caboclinho 7 Flexas, Pedrinho Salustiano e Meia Noite, do Daruê Malungo", enumera Tita, que vai convidar a todos para assistir ao espetáculo. "Seria pra mim um privilégio tê-los na plateia, e poder retribuir um pouco do que aprendi", conta.
Além das apresentações de "Cabeção" e "Planta do Pé", a artista vai oferecer a oficina "Criações a partir das danças populares brasileiras", que acontecerá no dia 11 de feveiro, das 18h às 22h, no Paço do Frevo. Do Recife, Tita segue para a fazenda Carnaúba, de propriedade da família de Ariano Suassuna e localizada em Taperoá, na Paraíba.

Ao longo de um mês de residência, ela pretende iniciar um novo projeto de criação, embora ainda vá continuar com a circulação de "Planta do Pé". "Simbolicamente, este é um momento muito importante para mim, em que fecho um ciclo e dou início a novos projetos de criação", avalia.

​Serviço
Apresentação do espetáculo "Planta do Pé"
02 de fevereiro de 2020, às 18h
Local: Teatro Hermilo Borba Filho - Cais do Apolo, 142, Bairro do Recife
Ingressos: R$ 20 (meia entrada) ou R$ 40 (inteira), à venda no site Sympla

 

Veja também

Nem Covid nem Bolsonaro frearam Lei Rouanet, que ficou estável em 2020
Cultura

Nem Covid nem Bolsonaro frearam Lei Rouanet, que ficou estável em 2020

Record demite Marcos Mion após 11 anos na emissora, diz colunista
Famosos

Record demite Marcos Mion após 11 anos na emissora, diz colunista