AÇÃO

Tom Cruise mostra mais do mesmo

Ator vive protagonista durão que resolve casos com força excessiva e não demonstra sentimentos

Ex-prefeito do Recife João Paulo (PCdoB)Ex-prefeito do Recife João Paulo (PCdoB) - Foto: Felipe Ribeiro/Folha de Pernambuco

 

O cartaz, o trailer, a sinopse, todo material de divulgação do lançamento “Jack Reacher: Sem Retorno” é fiel ao que o filme realmente é: um longa-metragem de ação composto por todas as características que compõem o gênero. Tem perseguição de carro, tiroteio, explosões. Vilões que vestem apenas roupas pretas e matam por maldade. Protagonista durão que resolve casos com força excessiva e não demonstra sentimentos.

Esse personagem é interpretado por Tom Cruise e esse parece o primeiro erro do filme: diferente do papel em “Missão Impossível”, não parece o encaixe ideal nesse tipo de bruto cujo recurso único é a violência.

Cruise interpreta o personagem do título (criado pelo escritor Lee Child, autor dos livros que inspiraram o filme), um ex-major do Exército que agora é uma espécie de andarilho.

Jack resolve crimes mesmo sem receber salário e depois de prender os bandidos tem o curioso hábito de pegar carona em caminhões. Ele tem um contato no Exército, Turner (Cobie Smulders), que o substituiu. Depois de algumas ligações Jack decide meio sem planejar visitar Turner em Washington para convidá-la para sair.

Ao chegar, descobre que ela foi presa por traição e naturalmente ele decide resolver esse caso, matar bandidos, prender o chefão. Trabalho de uma semana no máximo.
O roteiro inclui tudo que estamos acostumados no cinema de ação. Embora os clichês em certo sentido legitimem gêneros e ofereçam ao espectador um caminho de entendimento, “Jack Reacher” recorre a eles com frequência e fanatismo. Não há surpresas no filme, há apenas a compreensão mais banal do que é definido como “ação”.

Em alguns momentos tudo parece bem executado, como o bom ritmo da primeira cena, que reveste de carisma certos princípios da ação, mas de resto não há nada que destaque este segundo filme da franquia “Jack Reacher” (o primeiro foi lançado em 2012) entre tantos outros filmes do gênero.

 

Veja também

Com protagonista pernambucana, 'Alice Júnior' mostra os desafios de uma adolescente trans
ANNE MOTA

Com protagonista pernambucana, 'Alice Júnior' mostra os desafios de uma adolescente trans

"No Escurinho do Cinema": de Jean Cocteau a Silveste Stallone
Poesia

"No Escurinho do Cinema": de Jean Cocteau a Silveste Stallone