Tomorrowland Brasil 2017 é cancelado e organização cita crise econômica

Instabilidade do país já havia atrapalhado a edição deste ano, que ainda tinha 20% dos ingressos a dias do evento

Paulo Câmara (PSB) recebe apoio de lideranças Paulo Câmara (PSB) recebe apoio de lideranças  - Foto: Hélia Scheppa/PSB

Após duas edições no Brasil, o megafestival de música eletrônica Tomorrowland não acontecerá no país em 2017 -a matriz é belga-, anunciou a organização nesta quinta-feira (24).

"Dentre os motivos estão a atual situação econômica brasileira, conjugada com outros fatores de instabilidade, que resultam em um cenário demasiadamente adverso para uma iniciativa do porte do Tomorrowland", diz o comunicado oficial.

A instabilidade do país já havia atrapalhado a edição deste ano. Em 2015, os ingressos para o festival se esgotaram antes mesmo de qualquer atração ser anunciada. Neste ano, a dois dias do início da segunda edição, cerca de 20% dos ingressos ainda estavam disponíveis.

Na ocasião, a organização do evento atribuiu a lentidão das vendas à crise econômica, que também atingiu a escala do festival. Em vez dos sete palcos da edição em que estreou no Brasil, a versão 2016 teve seis.

"[O contexto atual] nos obrigou a pensar como fazer para reduzir custos sem prejudicar a experiência do público", afirmou Maurício Soares, diretor de marketing do festival, àquela época.

Considerado o maior de música eletrônica do mundo, o festival é conhecido por seus palcos gigantescos e pelo uso de pirotecnia.

Veja também

Claudia Leitte: 40 anos em live com Léo Santana e Dennis DJ
Música

Claudia Leitte: 40 anos em live com Léo Santana e Dennis DJ

'Cine Holliúdy' volta com alegria e resistência na pandemia
Televisão

'Cine Holliúdy' volta com alegria e resistência na pandemia