Um convite para a leitura crítica

Semana do Livro de Pernambuco, que vai de amanhã a domingo, alia literatura com questões sociais e políticas

Chapa majoritária femininista do PSol que disputou eleições de Pernambuco apoiará Haddad no 2º turnoChapa majoritária femininista do PSol que disputou eleições de Pernambuco apoiará Haddad no 2º turno - Foto: Divulgação

 

Do mesmo berço da Bienal do Livro de Pernambuco (cuja próxima edição será em 2017), a Semana do Livro de Pernambuco nasceu para ser uma grande pensata. Não é uma feira literária, mas um momento de pensar. A partir do ano que vem, a Semana integrará a programação da Bienal, no mesmo formato que se apresenta agora: discutindo literatura, mas pautada pelas temáticas mais debatidas do ano e com o tema fixo “Narrativas Possíveis do Presente”. Nesse evento-piloto, que começa amanhã, vem puxando 2016 falando do momento político brasileiro, de questões de gênero, de memória e de jornalismo. Será no Museu do Estado de Pernambuco até o próximo domingo (4), com entrada franca.
A primeira palestra de amanhã é do crítico e escritor José Castello, uma masterclass sobre o romance de Franz Kafka, “O processo”, ideia do próprio curador do evento, o jornalista Schneider Carpeggiani. “‘Ribamar’ (livro de Castello que levou um prêmio Jabuti em 2011) é uma espécie de ‘Carta ao pai’. Prontamente ele aceitou, releu ‘O processo’ e comentou sobre a atualidade do livro, como está ligado ao que se passa hoje”, comentou Carpeggiani. O dia segue com Bernardo Kucinski e a tradutora e escritora Ivone Benedetti.
Às 18h30, a Cia de Eventos (empresa promotora das programações) começa outro projeto, um “esquenta” para a Bienal com o poeta, escritor e cineasta Fernando Monteiro (homenageado da mostra, juntamente com o escritor Lima Barreto) e um convidado a cada mês. Na estreia de hoje, Monteiro recebe a poeta e fotógrafa pernambucana, radicada na Alemanha, Adelaide Ivánova. Às 18h, Antônio Neto e José Alves Sobrinho lançam “Pegadas de um Sertanejo-Vida e memória de José Saturnino”.

Na quinta, no painel, Carpeggiani discute jornalismo com a colunista do El País Eliane Brum. A programação segue com Elvira Vigna, que conversa sobre seu romance “Como estivéssemos em palimpsesto de putas”, um olhar crítico sobre a atual sociedade. Às 19h, o fotógrafo e jornalista Chico Ludemir lança “A história incompleta de Brenda e de outras mulheres” e fala sobre seu processo criativo com as mulheres trans e travestis que perfilam em sua obra. No espaço Livro Aberto, às 18h, Leo Asfora lança o seu “Além das palavras”, uma obra que reúne 81 poemas que discorre sobre a vida, com sentimento e reflexão.

Nos três dias seguintes da Semana do Livro de Pernambuco, haverá ainda uma conversa sobre as formas de resistência e de luta por direitos na universidade pública e a presença do escritor Raimundo Carrero (que fala sobre “Pérolas porcas”, seu novo romance que será lançado em 2017), além do quadrinista André Dahmer. No domingo, destaque para o painel “Como fazer a magia de Harry Potter funcionar”, com Monica Figueiredo, da editora Rocco, responsável por todos os livros da série no Brasil.

 

Veja também

Bruna Marquezine nega affair com Arthur Aguiar e diz que ficou com Tiago Iorc
Celebridades

Bruna Marquezine nega affair com Arthur Aguiar e diz que ficou com Tiago Iorc

Nicolas Prattes adota cachorra após antiga dona morrer de Covid-19
Celebridades

Nicolas Prattes adota cachorra após antiga dona morrer de Covid-19