Uma saga do circo através de pinturas e de texto teatral

José de Moura faz tributo ao tio, que era circense, em livro e exposição lançados no Museu do Estado

José de Moura criou a parte literária do projeto em coautoria com o dramaturgo baiano Romualdo LisboaJosé de Moura criou a parte literária do projeto em coautoria com o dramaturgo baiano Romualdo Lisboa - Foto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

Em um momento no qual a cultura circense não mais possui a mesma visibilidade de antes, um projeto que une produção literária às artes visuais nos leva a conhecer um pouco da história de Aloísio, que dedicou a vida às palhaçadas e malabarismos. Assinada pelo artista plástico pernambucano José de Moura (J. de Moura), a exposição "Dr. Aloísio - Profissão Palhaço" faz uma homenagem a seu tio, e chega ao Museu do Estado de Pernambuco, onde ocupará três galerias com 70 obras.

O pintor também leva a trajetória do parente além das telas, em um texto para o teatro escrito em coautoria com o dramaturgo baiano Romualdo Lisboa. "É um desafio escrever uma peça teatral, porque minha forma de contar histórias é através da pintura", confessa o artista de 73 anos, que ao longo de 45 anos de carreira acumula mais de vinte mostras individuais.

Na esperança de aplacar a tristeza - sua e do mundo - Aloísio larga o emprego de bancário e decide se tornar palhaço de circo. "Negro e pobre, a realidade dele era implacável. Cansado de ser humilhado, usa o pouco dinheiro que tinha para abrir um circo mambembe", relembra José de Moura. A partir de então, o palhaço vive grandes histórias, como o romance com a bailarina Rosita.

Leia também:
Ianah Maia traz exposição 'Algumas coisas bonitas que encontrei' ao Recife
[Galeria de fotos] Recife abriga exposição que resgata memória de pintor impressionista
Mostra na Amparo 60 revela olhar feminino, social e existencial

Sob a curadoria de João Câmara, a produção também reúne textos assinados por nomes como Ariano Suassuna (in memoriam), Weidson de Barros, Raul Henry e Marcos Vinícius Vilaça, que comentam sobre o impacto da obra de José de Moura na cultura pernambucana. O livro será distribuido gratuitamente aos que estiverem presentes no lançamento.

Obras da exposição são de J. de Moura e de artistas convidados

Obras da exposição são de J. de Moura e de artistas convidados - Crédito: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco



Já a exposição foi montada em três galerias do Museu do Estado, revelando personagens típicos do ambiente circense ou da cultura popular, como o capitão de fandango, o palhaço, o mágico e a bailarina. A mostra também traz telas da série "Mangue", de José de Moura, e desenhos criados por outros artistas, convidados especialmente para o projeto, como Pedro Dias, Pragana, Maurício Arraes, José Barbosa, José Carlos Viana, Ferreira e Gil Vicente, além do próprio João Câmara.

Assinando a expografia do espaço, Rinaldo Carvalho reforça a intenção de relembrar o circo de rua. "Através um cenário leve, com elementos como bancos de madeira, pretendemos que o público volte no tempo e se sinta confortável ao apreciar as obras", fala o artísta plástico e designer.

Série sobre o mangue também está na mostra

Série sobre o mangue também está na mostra - Crédito: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

O lançamento do livro e abertura da exposição ocorrem hoje às 19h, no Museu do Estado. O evento contará com performaneces circenses, apresentação de mamulengos, encenação de peça teatral, além de uma programação dedicada às crianças. A entrada é gratuita. O projeto tem apoio da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) e a exposição fica em cartaz até 12 de abril.

Serviço:
Lançamento do livro/catálogo e abertura da exposição "Dr. Aloisio - Profissão Palhaço"
Museu do Estado de Pernambuco (Avenida Rui Barbosa, 960, Graças)
Nesta quinta-feira (1º), às 19h
Entrada gratuita
Informações: (81) 3184-3174

Veja também

Claudia Leitte terá trio elétrico nos Estados Unidos e comandará Carnaval no país em 2021
famosos

Claudia Leitte terá trio elétrico nos Estados Unidos e comandará Carnaval no país em 2021

Manifesto com Chico Buarque quer aproximar autores de língua portuguesa
artistas

Manifesto com Chico Buarque quer aproximar autores de língua portuguesa