A-A+

Weinstein desiste de depor em seu julgamento e fase de declarações é encerrada

Seis mulheres testemunharam durante esse julgamento à pedido da acusação desde 22 de janeiro

Produtor Harvey Weinstein Produtor Harvey Weinstein  - Foto: Reprodução/Internet

O ex-produtor de cinema Harvey Weinstein, de 67 anos, confirmou nesta terça-feira (11) que não testemunhará no julgamento no qual responde por agressões sexuais. Essa informação finaliza a fase de declarações e dá início às alegações finais e deliberações, que ao que tudo indica serão complicadas.

Seis mulheres testemunharam durante esse julgamento à pedido da acusação desde 22 de janeiro. Crucial para a criação do movimento #MeToo, no processo o ex-magnata hollywodiano é acusado de tê-las agredido sexualmente.

Embora Weinstein tenha sido acusado de assédio e agressão sexual por mais de 80 mulheres, entre elas as atrizes Ashley Judd, Angelina Jolie e Léa Seydoux, ele está sendo julgado apenas por dois supostos casos ocorridos em Nova York. Um deles é o suposto estupro da aspirante a atriz Jessica Mann, em 2013, e um caso de sexo oral forçado na assistente de produção, Mimi Haleyi, em 2006.

Leia também:
Weinstein fez uma 'lista' de mulheres que queria investigar
Defesa de Weinstein pede saída do juiz que preside o processo


Porém, em ambos os casos, o conceito chave de consentimento tem se mostrado mais vago que na maioria dos julgamentos do mesmo tema, segundo especialistas legais entrevistados pela AFP.

As duas mulheres admitiram perante a corte ter tido ao menos um encontro sexual consentifo com o produtor após as supostas violações.

Jessica Mann, de 34 anos, cujas acusações poderiam mandar o produtor para a prisão pelo resto de sua vida, admitiu ter mantido uma relação íntima com o homem forte de Hollywood durante varios anos após a suposta agressão.

Durante o contrainterrogatório da defesa, Mann reconheceu ter tido uma relação "degradante e complicada" com o produtor.

Os advogados de Weinstein chamaram sete testemunhas, incluindo Talita Maia, amiga de Mann, que disse na última segunda que a suposta vítima considerava o produtor sua "alma gêmea espiritual" e que ela nunca havia lhe dito que ele teria a agredido sexualmente.

Ainda que uma psiquiatra citada pela acusação, Barbara Ziv, tenha declarado que as vítimas de agressão sexual muitas vezes mantêm contato com o seu agressor, os 12 membros do jurado podem ter dificuldades para determinar se Weinstein pode ser considerado culpado "para além de todas as dúvidas razoáveis".

A defesa afirma que todas as relações sexuais mantidas pelo produtor foram consentidas e que as mulheres aceitaram passar por isso com a esperança de que o magnata hollywoodiano fizesse suas carreiras decolarem.

A advogada Donna Rotunno, que deve apresentar as alegações finais na quinta-feira, deu a entender que teriam sido elas que teriam manipulado o produtor ao enviar mensagens de amor em troca de favores.

Veja também

Paulo Bruscky completa 50 anos de exposição censurada e dispara: 'Nunca tive medo'
Arte

Paulo Bruscky completa 50 anos de exposição censurada e dispara: 'Nunca tive medo'

'Duna' documenta o perigo real de líderes messiânicos, diz diretor Denis Villeneuve
Cinema

'Duna' documenta o perigo real de líderes messiânicos, diz diretor Denis Villeneuve