Premiação

Zimbábue, Etiópia, Escócia e EUA têm finalistas de Booker Prize 2020

Edição 2020 da premiação ganhou destaque pela indicação de quatro escritores iniciantes e quatro negros

Livros finalistas foram escolhidos entre 162 títulos analisados pelo júriLivros finalistas foram escolhidos entre 162 títulos analisados pelo júri - Foto: Reprodução/Instagram

A lista dos finalistas indicados ao Booker Prize foi anunciada nesta terça-feira (15) e é a mais diversa de todas as edições, contando com a presença dos escritores Douglas Stuart, da Escócia, Maaza Mengiste, da Etiópia, Tsitsi Dangarembga, do Zimbábue, Diane Cook, Avni Doshi e Brandon Taylor, dos Estados Unidos.

Além da diversidade de nacionalidade entre os seis autores, a edição de 2020 de um dos maiores prêmios literários do mundo também se destaca pela indicação de quatro escritores iniciantes e quatro negros.
 



"Os melhores romances geralmente preparam nossas sociedades para conversas valiosas, e não apenas sobre as desigualdades e dilemas do mundo –seja em relação às mudanças climáticas, comunidades esquecidas, velhice, racismo ou revolução quando necessário– mas também sobre como o interior da mente é magnífico", disse em nota a presidente do júri, Margaret Busby.

Os livros finalistas, escolhidos entre 162 títulos analisados pelo júri, são:

"This Mournable Body", de Tsitsi Dangarembga
"The Shadow King", de Maaza Mengiste
"The New Wilderness", de Diane Cook
"Burnt Sugar", de Avni Dosh
"Shuggie Bain", de Douglas Stuart
"Real Life", de Brandon Taylor

A autora britânica Hilary Mantel, que já venceu o prêmio duas vezes em edições anteriores, estava entre os semifinalistas, mas agora foi desclassificada.

O vencedor deste ano ganhará o valor de £ 50 mil, o equivalente a R$ 339 mil, e será anunciado em 17 de novembro, num evento transmitido online.

Veja também

Doação da Netflix ajuda mais de 5.000 profissionais do setor audiovisual
streaming

Doação da Netflix ajuda mais de 5.000 profissionais do setor audiovisual

Público faz abaixo-assinado com 15 mil assinaturas para mudar nome de esmalte
internet

Público faz abaixo-assinado com 15 mil assinaturas para mudar nome de esmalte