João Cândido Portinari promoveu palestra sobre seu pai, no Recife
João Cândido Portinari promoveu palestra sobre seu pai, no RecifeFoto: Amanda Marx/Divulgação

Crianças, retirantes, passistas, poetas, jangadeiros, caboclos, índios, namorados. O universo de Cândido Portinari se derramou sobre os pernambucanos, durante a palestra proferida nesta quinta-feira (07) por seu filho, João Cândido, no auditório do Instituto Ricardo Brennand, no bairro da Várzea. Diversos representantes da arte e da cultura, como professores universitários, pesquisadores, artistas e membros do governo estiveram presentes no evento "Do Cafezal à Onu", organizado pela agência Carvalheira.

Leia também:
Retrospectiva inédita de Portinari é lançada pelo Google
Homens armados tentam roubar quadro de Portinari do MAC, em Olinda

Além de saber mais sobre a vida e a obra de Cândido Portinari (1903-1962), quem assistiu à palestra se emocionou ao ouvir a história dos painéis "Guerra e Paz", presenteados pelo governo Brasileiro, em 1957, à sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque.

Auditório do Instituto Ricardo Brennand ficou lotado para saber mais sobre Portinari

Auditório do Instituto Ricardo Brennand ficou lotado para saber mais sobre Portinari - Crédito: Amanda Marx/Divulgação

Os gigantescos murais de 14 metros de altura e 10 metros de largura cada um são uma espécie de chamado de Portinari à ação, instigando quem entra nos salões da entidade a tomar providências contra o sofrimento humano. "Guerra e Paz" também são o legado final de Portinari à humanidade: proibido de pintar por seus médicos, por conta da toxicidade das tintas à base de chumbo que eram utilizadas na época, ele teimou em eternizar sua mensagem, falecendo pouco tempo depois de finalizar suas obras-primas, como apenas 59 anos.

Dezessete anos após sua morte, seu filho João Cândido criou o Projeto Portinari para resgatar a memória do artista, que pouco a pouco se tornava um 'famoso desconhecido'. Aos 80, depois de ter passado metade da vida frente a essa missão, João Cândido tem orgulho de ter realizado um levantamento exaustivo, no Brasil e em dezenas de outros países, lançando um catálogo com 5 mil páginas onde estão registradas 5.400 obras e 30 mil documentos, entre os quais seis mil cartas que retratam a realidade de sua época e sua relação com outros brasileiros importantes como Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Graciliano Ramos e muitos outros.

Detalhe do painel 'Guerra', de Cândido Portinari

Detalhe do painel 'Guerra', de Cândido Portinari - Crédito: Divulgação

Estiveram no evento personalidades como o ex-ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, que é professor do departamento de Física da UFPE e amigo de João Cândido Portinari, e o atual secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto. Dona Graça Brennand representou o marido, Ricardo, durante a apresentação. O Projeto Portinari pretende viabilizar uma exposição do artista no Recife, em 2021. 

veja também

comentários

colabore com a folha

comece o dia bem informado: