Artistas do grupo Têmpera promovem exposição 'Ovo', na Villa Ritinha
Artistas do grupo Têmpera promovem exposição 'Ovo', na Villa RitinhaFoto: Jose Britto/Folha de Pernambuco

Gestação, potencial, crescimento. Ao comemorar um ano de existência da revista Têmpera, o grupo de mesmo nome inaugurou, nesta semana, a exposição de artes visuais "Ovo", que remete a esses símbolos e é, também, a matéria-prima que fornece a albumina, essencial para fixar pigmentos nos primórdios da pintura e da fotografia. A mostra ocupa o casarão histórico do Centro Cultural Villa Ritinha, no bairro da Soledade, e fica em cartaz até o dia 20 de dezembro.

Fotografias de Alicia Cohim, Elizabeth de Carvalho e Luciene Torres dialogam com instalações artísticas produzidas por Flora Assumpção, remetendo a espirais, escamas, folhagens, à estética da natureza. Segundo Flora Assumpção, que há cerca de dois anos foi professora do grupo numa graduação em fotografia no Recife, a experiência foi além da sala de aula e transformou-se num coletivo voltado para a história e a produção da arte visual.

Leia também:
Villa Ritinha dá asas para a arte
Estudantes de fotografia lançam revista focada em artes visuais
Artistas/estudantes expõem em mostra do Sesc; veja fotos


Como resultado do trabalho, foram criados os projetos Revista Têmpera (com três volumes impressos e também disponíveis online) e Câmera Talk (veiculado no YouTube). Os demais participantes da exposição foram convidados dentre os colaboradores da revista, e vão dos mais consagrados (artistas plásticos como Marco Buti e Gil Vicente e fotógrafos como Flávio Lamenha e Alline Nakamura) aos parceiros de faculdade das criadoras do grupo (Pedro Azevedo, Jeff Cariolano, Cristiane Gomes e os fotógrafos da Folha de Pernambuco Thiago Britto e Caio Danyalgil).

"Nós nos unimos para facilitar o acesso do público à arte visual contemporânea, inclusive aqueles que não são acadêmicos", explica Flora Assumpção. A amostra exibida na Villa Ritinha se constrói em várias camadas, algumas mais complexas, mas sempre com o poder de tocar a qualquer indivíduo. "O apreço pelo encantamento visual é o que une tudo", resume.

Para Elizabeth de Carvalho, o diálogo que existe entre as obras, apesar de serem tantos os autores dentro de uma só exposição, se explica pelo fato de que esta é o resultado de um longo processo conjunto.

Detalhe da série 'Menina Benigna', de Elizabeth de Carvalho

Detalhe da série 'Menina Benigna', de Elizabeth de Carvalho - Crédito: Jose Britto/Folha de Pernambuco

A exposição está organizada a partir dos espaços que compõem a Villa Ritinha. No salão térreo, concentra-se a produção dos convidados. Seguindo pelo corredor, encontra-se o ensaio visual e poético de Luciene Torres. No primeiro andar, Elizabeth de Carvalho apresenta três ensaios ("Ex-votos", "Santos Decapitados" e "Menina benigna") e uma instalação artística, que refletem suas raízes no interior do Ceará e suas vivências pessoais, em imagens impactantes.

Unindo os dois andares, no espaço da escada, Alicia Cohim organizou a série "Armadilha para pequenos animais", onde espalha delicados elementos vegetais e aquáticos, impressos em tons de verde e azul que interagem com os móbiles tridimensionais "Trepantes", de Flora Assumpção. Estes possuem formatos que lembram algas, cobras ou peixes, criando uma verdadeira experiência sensorial de imersão.

Os "Trepantes" também ocupam o jardim da Villa Ritinha, subindo pela copa das árvores e dialogando com as "Serpentes Azuis" criadas por Flora ("lambe-lambes" cheio de escamas instalados nos muros do quintal).

Interação entre foto de Alícia Cohim e instalação de Flora Assumpção

Interação entre foto de Alícia Cohim e instalação de Flora Assumpção - Crédito: Jose Britto/Folha de Pernambuco

Para o proprietário da Villa Ritinha, Klaus Meyer, que divide a curadoria da mostra com Flora Assumpção, "Ovo" é uma das exposições mais diferentes que o espaço já acolheu. "Não é algo comum no Recife, fiquei fascinado com a qualidade do trabalho e com o impacto das instalações", confessa ele.

Serviço
Exposição coletiva "Ovo", do grupo Têmpera
Visitação gratuita até dia 20 de dezembro, de terça a sábado, das 15h às 19h
Onde: Centro Cultural Villa Ritinha - rua da Soledade, 35, Boa Vista
Informações: (81) 99830-4728

veja também

comentários

colabore com a folha

comece o dia bem informado: