Pintando o 7 chega a Caixa Cultural Recife ocupando três fins de semana com muita ludicidade e criatividade. Três companhias de diferentes regiões do país realizam nove apresentações de espetáculos de dança para crianças - sendo duas coproduções internacionais Portugal e Alemanha, além de desenvolverem atividades pedagógicas com vivências que envolvem pais e filhos numa só brincadeira.

No primeiro fim de semana (21, 22 e 23 de julho) o público poderá conferir as apresentações da Companhia de Danças de Diadema (SP), com a montagem A Mão do Meio Sinfonia Lúdica, uma história sobre o nascimento, a descoberta do corpo e da vida, e também, sobre as diferenças. O grupo, com 22 anos de trabalho, tem destaque no cenário da dança por sua inovação e é reconhecido nacional e internacionalmente, além de atuar junto à comunidade com o intuito de ensinar a dança e a descoberta do corpo como uma forma de expressão.

O espetáculo que a companhia traz para o Recife conta a história de uma mão que, fascinada por movimentos, parte à descoberta do corpo e aos poucos se torna uma colecionadora de gestos. Enquanto
desvenda o mundo, encontra pelo caminho uma perna bamba, um pé pipoca e um chapéu que anda sozinho fazendo a plateia mergulhar em um mundo de poesia, onde as situações cotidianas se transformam em mágica e gestos simples se tornam situações surpreendentes.
Já nos dias 28, 29 e 30 de julho será a vez da coprodução Brasil/Portugal O Tempo Perguntou ao Tempo, do Grupo Acaso (PE). O espetáculo faz uma viagem lúdica ao mundo das parlendas, cantigas e brincadeiras de infância em comum entre os dois países, trazendo personagens caricatos e cômicos, como uma menina vestida nas roupas da mãe, lesmas bailarinas e um sapo, que costuram essa história musical e de memórias afetivas. A trilha sonora do Tempo Perguntou ao Tempo é um resgate das lembranças de jogos populares e une pais e filhos através das canções.

Finalizando o projeto Pintando o 7, já no mês de agosto, a Cia. Elisabete Finger (PR) apresenta nos dias 4, 5
e 6 o espetáculo BURACO, um trabalho em coprodução com a Alemanha e que surgiu “de um desejo de partilhar com crianças e adultos outras possíveis lógicas relacionais, abrindo espaço para uma aventura sensória e sensível”. No palco, os artistas mostram as perspectivas do que é um buraco: uma relação entre
dentro e fora do corpo, entre diferentes corpos, entre diferentes materiais. São frestas, vazamentos, são passagens para outros lugares, são portais para outros mundos.

O Pintando o 7 pretende ultrapassar a experiência do palco e proporcionar para o público uma oportunidade de vivenciarem, juntos, um momento educativo e de diversão. Dessa forma, para além das apresentações, pais e filhos poderão participar de workshops desenvolvidos pelas companhias convidadas. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas na Caixa Cultural com a equipe do programa educativo Gente Arteira através do e-mail [email protected], em datas pré-estabelecidas. O número de vagas é limitado. Mais informações: (81) 3425.1906.

Serviço:

Todos os espetáculos acontecem nas sextas e sábados
De 21 de julho a 6 de agosto

Local: Caixa Cultural Recife
Hora às 16h, e domingos, às 10h, com classificação livre

ingressos:
R$ 10 (inteira)
R$ 5 (meia).
Os ingressos para todos os espetáculos estarão à venda na bilheteria da CAIXA Cultura Recife à partir das 10 horas da quinta feira que antecede o espetáculo.

Informações: 81. 3097.5268 l [email protected]

comece o dia bem informado: