Filig 2018
Filig 2018Foto: divulgação

Quarta edição do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns vai acontecer de 18 a 20 deste mês com programação gratuita e expectativa de receber 3 mil pessoas

Mais que uma ode à cultura indígena, um reconhecimento e reafirmação de sua existência. É com essa proposta que a Ferreira Costa e a Proa Cultural realizam a quarta edição do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns, único do gênero no Brasil. O evento vai acontecer de 18 a 20 de outubro e elegeu o tema “Um povo em forma de histórias” para nortear a programação, que é gratuita e pretende atrair um público de três mil pessoas.

O olhar para o público infantojuvenil vem desde a primeira edição, e isso transcende a existência de um mercado editorial exponencial para essa faixa etária. “Entendemos que o estímulo à leitura começa cedo, num trabalho coletivo dos pais e responsáveis e dos ambientes de leitura, para que a criança adquira esse hábito de forma prazerosa e continuada”, afirma Flávia Chiba, gerente de Marketing da Ferreira Costa, que realiza o evento junto com a Proa Cultural em Garanhuns. Com olhar para a geração que se forma, esta edição do Filig vai abordar a relação com a ancestralidade brasileira acrescida das vivências e existências dos povos indígenas de Pernambuco, especialmente no Agreste.

Com curadoria do escritor e ilustrador de histórias Luciano Pontes, foram convidadas referências internacionais e nacionais que trazem em suas obras ou em suas trajetórias histórias e traços indígenas, como Vanina Starkoff (Argentina), Yaguarê Yamã (Amazonas), Rita Carelli (São Paulo), Cristino Wapichana (Roraima) e Marilda Castanha (Belo Horizonte). Além deles, estarão presentes a Fada Magrinha, a Aldeia Fulni-ô, a Tropa do Balacobaco e os mediadores Stephany Metódio, Taynah de Brito Barra Nova e Lucas da Silva Castro. “Nosso estado possui várias aldeias e experiências incríveis em suas escolas, mas esse viver sempre ficou muito restrito a elas. Nós precisamos expandir isso, partilhar e dar força como forma de preservação da história e de conexão com nossa ancestralidade”, afirma Luciano.

Durante os três dias, sempre a partir das 9h, as atividades do Festival serão realizadas em dois polos: Mundaú e Aruá, ambos no bairro de Santo Antônio, em Garanhuns. O primeiro, no Parque Ruber Van Der Linden (Pau Pombo), haverá a exposição ILUSTRImagem, como um convite à leitura por meio de traços, formas e cores das obras Fim da Fila, de Marcelo Pimentel, e Abaré, de Graça Lima; leitura aberta, com mediações das 9h às 17h, atrações artísticas, como o espetáculo “O Espelho da Lua”, feira de livros, conversas com autores e oficina Ferreira Costa de Percussão, com a Fada Magrinha.

O segundo polo, Aurá, está localizado no Sesc da cidade, ao lado do Parque. Na Unidade, vão acontecer as ações formativas, como o Ateliês de Criação e de Narrativas Visuais, com a presença dos convidados para o compartilhamento de seus processos de desenvolvimento. As turmas infantis, voltadas para crianças de 3 a 12 anos, não requerem inscrição prévia. Para as adultas, com foco nos agentes de leitura, professores, estudantes de áreas relacionadas e ilustradores, já é possível fazer a inscrição pelo https://bit.ly/2EdQSoZ.

Formação e intervenções – Com o objetivo de deixar legado na cidade, com a promoção de atividades continuadas e formação de multiplicadores, o Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns vem realizando ações desde o último mês de julho na cidade. Mensalmente, realizou o Seminário Filig de Leituras, momento de capacitação exclusiva para mais de 200 mediadores de leitura, professores, alunos dos cursos de Letras e Pedagogia e bibliotecários da região. “Quisemos compartilhar com eles experiências literárias, a importância de levar essa paixão e estímulo para salas de aula e demais ambientes de leitura”, avalia a produtora-executiva da Proa Cultural, Maria Chaves. Em novembro, haverá mais uma edição do Seminário.

Além disso, o Filig promoveu uma agenda de ações em espaços públicos e em escolas municipais da cidade. Durante o Festival de Inverno de Garanhuns, em julho, e em outubro, realizou momentos de mediação de leitura com Yalle Feitosa, primeira pernambucana a integrar a Red International de Cunetacuentos, uma organização espanhola que certifica em 46 países a atividade da garanhuense. Durante as atividades, ela fez a leitura do livro “Sapatos Trocados”, assinado pelo premiado escritor indígena Cristino Wapichana, presente na programação do Festival.

Realização – O Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns é uma realização do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Lei de Incentivo à Cultura, idealizado pela Ferreira Costa e Proa Marketing Cultural e Projetos, com apoio da Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Educação Municipal, do Serviço Social do Comércio (Sesc) Garanhuns e da Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG).

Programação – Filig 2018


Quinta-feira (18/10):

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: exposição ILUSTRImagem

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: feira de livros

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: sessões Leitura Aberta

10h às 11h30 | Polo Mundaú - Pau Pombo: cerimônia de abertura (cafurna e toré com Aldeia Fulni-ô)

14h às 15h | Polo Mundaú - Pau Pombo: conversa com autor (Yaguarê Yamã e mediação de Stephany Metódio)

14h às 16h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê de Criação infantil (Cristino Wapichana)

14h às 16h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê de Criação (Marilda Castanha)

15h às 16h | Polo Mundaú - Pau Pombo: conversa com autor (Vanina Starkoff e mediação de Stephany Metódio)

16h30 | Polo Mundaú - Pau Pombo: espetáculo “O Espelho da Lua” (Tropa do Balacobaco)

18h às 21h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê Filig de Narrativas Visuais (Vanina Starkoff)

18h30 às 20h | Polo Mundaú - Pau Pombo: conversa “A Infância na Cultura e na Literatura Tradicional e Contemporânea Indígena” (Yaguarê Yamã e Rita Carelli e mediação de Lucas da Silva Castro)


Sexta-feira (19/10):

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: exposição ILUSTRImagem

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: feira de livros

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: sessões Leitura Aberta

9h às 11h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê de Criação infantil (Rita Carelli)

10h às 11h | Polo Mundaú - Pau Pombo: conversa com autora (Marilda Castanha e mediação de Stephany Metódio)

11h às 12h | Polo Mundaú - Pau Pombo: apresentação cultural com Aldeia Fulni-ô

14h às 15h | Polo Mundaú - Pau Pombo: conversa com autora (Rita Carelli e mediação de Stephany Metódio)

14h às 16h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê da Criação infantil (Vanina Starkoff)

14h às 16h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê da Criação (Yaguarê Yamã)

16h30 | Polo Mundaú - Pau Pombo: espetáculo “O Espelho da Lua” (Tropa do Balacobaco)

18h às 21h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê Filig de Narrativas Visuais (Marilda Castanha)

18h30 às 20h | Polo Mundaú - Pau Pombo: conversa “A vez e a voz da cultura indígena na literatura para a infância brasileira” (Yaguarê Yamã e Cristino Wapichana e mediação de Taynah de Brito Barra Nova)

Sábado (20/10)

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: exposição ILUSTRImagem

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: feira de livros

9h às 17h | Polo Mundaú - Pau Pombo: sessões Leitura Aberta

9h às 11h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê de Criação infantil (Yaguarê Yamã)

9h às 11h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê de Criação (Rita Carelli)

10h às 11h | Polo Mundaú - Pau Pombo: conversa com autor (Cristino Wapichana e mediação de Stephany Metódio)

10h às 11h | Polo Mundaú - Pau Pombo: Oficina Ferreira Costa de Percussão - construção de Maraca ( Fada Magrinha)

11h | Polo Mundaú - Pau Pombo: apresentação cultural (Fada Magrinha)

14h às 16h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê da Criação infantil (Marilda Castanha)

14h às 16h | Polo Aruá – Sesc: Ateliê da Criação (Vanina Starkoff)

16h | Polo Mundaú - Pau Pombo: apresentação cultural (Fada Magrinha)


Biografia dos convidados

Vanina Starkoff (ARG) – Ilustradora e designer gráfico, nasceu na “Bela América Latina” em Buenos Aires, Argentina. Graduada em design gráfico na Faculdade de Buenos Aires, Vanina descobriu sua paixão pelas imagens dos livros, e tomou como inspiração para passar a criá-los. Atualmente mora no Brasil desde 2014 na cidade do Rio de Janeiro. Seu primeiro livro “Danças nas Nuvens” foi finalista do III Internacional Compostela Award for Picture Books e traduzido posteriormente para outros sete países.

Yaguarê Yamã (AM) - Escritor, geógrafo, ilustrador e líder indígena. As suas atividades estendem-se por todo o Brasil, em palestras e eventos ligados à temática indígena e ambiental. É amazonense e filho do povo Maraguá por parte de mãe e Sateré-mawé, por parte de pai, formado em Geografia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA), em São Paulo, onde também palestrou e morou, até voltar ao Amazonas. Como ativista da causa indígena, tem passado por diversos lugares, sempre desenvolvendo projetos culturais e socais tais como como o projeto “De volta as origens” que tem o objetivo de conscientizar indígenas e ribeirinhos a valorização étnica e a reorganização social. Mora e leciona atualmente em escola pública na cidade de Nova Olinda do Norte, além de atuar como liderança do povo Maraguá, na A. I. Maraguapajy, no rio Abacaxis, Urariá e Paracuni.

Rita Carelli (SP) - Escritora, ilustradora, roteirista, atriz e diretora de teatro e cinema. Coordenou a coleção infantil de seis volumes “Um Dia na Aldeia”, onde escreveu e ilustrou três dos títulos, numa parceria com a ONG Vídeo nas Aldeias, republicados recentemente pela editora SESI. Seu livro “Akykysia – O Dono da Caça” foi contemplado com o prêmio White Ravens e com selo de “Altamente Recomendável” pela FNLIG – Fundação Nacional do Livro da Infância e da Juventude, integrando, em 2015, o catálogo da feira de Bolonha e participando de eventos literários em Lisboa e no Brasil. Seu envolvimento com a cultura indígena não é de hoje. Em 2016, ilustrou os livros “Memórias de Índio – uma quase autobiografia” de Daniel Munduruku (ed. Edelbra) e, neste ano, lança “Minha família Enauenê” pela Editora FTD, que conta sua infância junta ao povo indígena Enauenê-Nauê. Atualmente trabalha em seu romance “TERRAPRETA”, ambientado em São Paulo, Paris e no Alto Xingu.

Cristino Wapichana (RR) - Escritor, músico e contador de histórias natural de Boa Vista, Roraima, é produtor do encontro de escritores e artista indígenas, patrono da cadeira literária 146 da Academia de Letras dos Professores da cidade de São Paulo – ALP, escritor brasileiro a figurar a lista de honra do YBBY 2018 e vencedor do 4° concurso Tamoio de literatura pela FNLIJ – Fundação Nacional do Livro Infantil e juvenil 2007 com o texto “A Onça e o Fogo”. Acumula Menção Honrosa 2014 do concurso Tamoio, Medalha da Paz – 2014 – Movimento União Cultural e indicação ao Prêmio da Ordem do Mérito Cultural da Presidência da Republica 2008 e 2014, pelos trabalhos relevantes em prol da cultura indígena brasileira. Tem publicados os livros “A Onça e o Fogo” (Ed. Amarilys – 2009); “Sapatos Trocados” (Ed. Paulinas – 2014) – selo altamente recomendável do FNLIJ 2015; e “A Oncinha Lili” (Ed. Edebe – 2014).

Marilda Castanha (BH) - Nascida em Belo Horizonte, onde se formou em Belas Artes, tem dezenas de livros ilustrados e participações em exposições, no Brasil e no exterior, como a mostra “Le Imaggini de la Fantasia” (Sarmede, Itália). Entre os prêmios recebidos destacam: o Jabuti de Ilustração, o Prix Graphique Octogone (Paris) e o Runner up (Japão), todos com o livro Pindorama, terra das Palmeiras. Em 2011, teve um de seus títulos (o Mil e uma estrelas) selecionado para a lista White Ravens, da Biblioteca de Munich. E em 2017, com o livro “Sem Fim” foi premiada na categoria Purple Island no Nami Concours, na Coreia do Sul. Hoje vive e trabalha em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Ferreira Costa - Considerado o maior Home Center do Norte e Nordeste e com mais de 134 anos, a Ferreira Costa ocupa, hoje, o 5º lugar no ranking nacional de varejistas, de acordo com a revista Anamaco. A empresa conta hoje com aproximadamente 3 mil colaboradores diretos e 400 promotores para apoio de vendas, três lojas em Pernambuco, uma na Bahia e uma em Sergipe. Disponibiliza nelas mais de 75 mil itens para casa e construção, incluindo utilidades domésticas, decoração, móveis, eletrodomésticos, equipamentos para bares e restaurantes e setor automotivo. Climatizada e com estacionamento, a rede oferece diversos serviços ao consumidor como clube do profissional, lista de casamento com compras online, televendas, vendas corporativas e centro automotivo. Nesse tempo de atuação, acumula várias conquistas, como o Prêmio Especial de Atendimento ao Consumidor, Troféu Lojista CDL Salvador, Recall de Marcas, Marcas que eu e o 1º lugar das maiores e melhores do Nordeste, da última edição da Revista Anamaco.

comece o dia bem informado: