Mariene de Castro é uma das atrações da noite dedicada ao samba no Carnaval do Recife
Mariene de Castro é uma das atrações da noite dedicada ao samba no Carnaval do RecifeFoto: Reprodução/Instagram

O "Santo de Casa" (2019), da baiana Mariene de Castro, nunca "baixou" pelas bandas do Carnaval do Recife. No Marco Zero, em noite dedicada ao samba, será a primeira vez que uma das bambas do gênero vai encorpar a roda e se juntar a outras mulheres que, entre cavaquinhos, cuícas e pandeiros, comandam com maestria, do partido alto ao terreiro, a Folia de Momo pernambucana, aberta a todos os ritmos e com o samba como protagonista.

"Esse é o verdadeiro Carnaval, uma festa popular que reúne a cultura do País. É um lugar exemplo e isso me deixa muito feliz. Levaremos o sotaque da Bahia e vai ser lindo", comenta a sambista, em conversa com a Folha de Pernambuco. Ao lado de Gerlane Lops e Karynna Spinelli, no domingo 23 de fevereiro, no Bairro do Recife, a baiana dará o tom multicultural à festa.






Leia também:
Prefeitura de Paulista divulga programação do Carnaval 2020; confira
Carnaval de Fernando de Noronha: Geraldo Maia, Banda Torpedo e Beto Hortis
Alceu Valença e Fafá de Belém lançam música carnavalesca

Veterana nos palcos do Recife e conhecida por sua entrega ao ritmo, a cantora e compositora pernambucana Gerlane Lops - homenageada do Carnaval em 2019, junto ao sambista Belo Xis - celebra o protagonismo do samba em meio à Folia de Momo e às ocupações gradativas do gênero nos polos da festa no Recife.

"Sempre estivemos presentes por meio de escolas de samba, nos bairros e nas comunidades, mas, de um tempo para cá, tem chegado também em lugares de destaque como o (Baile) Municipal e o Marco Zero, fato que é uma vitória linda para a classe, além de ter se fortalecido nos polos descentralizados", atesta ela, integrante do time das "mulheres bambas" e que, com autoridade, vai erguer a batuta do samba no Marco Zero.

Gerlane, que, como sempre, e segundo ela própria, segue "mais feliz, cantando, cantando e cantando sempre", se apresenta com a sua Orquestra Recife de Sambas. "Além de mim, vamos receber Negothor, Belo Xis e Luísa Pérola", adianta ela, que traz ao repertório do Carnaval clássicos do ritmo e composições de sua autoria, mescladas entre as faixas do seu mais recente trabalho "Tamanho do Mar".

Batucada descentralizada
Partindo da premissa de que pernambucano bom sujeito é e, portanto, não faz jus aos escritos de Caymmi do "Samba da Minha Terra", além do Bairro do Recife, os polos descentralizados do Carnaval também vão ser tomados pelos samba-raiz do Fundo de Quintal (Campo Grande e Ibura), pelos clássicos de Jorge Aragão (Poço da Panela) e por um dos pesos pesados do gênero no País, a cantora e compositora carioca Lecy Brandão, que se apresenta no Polo Arsenal e também no Cordeiro.

Já Belo Xis, longevo no ritmo há pelo menos quatro décadas e puxador oficial da pernambucana Gigantes do Samba (Bomba do Hemetério), chega em 2020 com o lançamento do frevo "Garra e Coração", um dos hits de seu repertório que será apresentado nos dias da folia.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: