Janela Internacional de Cinema do Recife
Janela Internacional de Cinema do RecifeFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

O festival Janela Internacional de Cinema do Recife deu início, na noite desta quarta-feira (7), a sua 11ª edição. Mesmo com a readequação orçamentária - que resultou na redução de 10 para cinco dias e, consequentemente, na redução de filmes exibidos -, a abertura do evento manteve sua essência. O público lotou o Cinema São Luiz, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, para assistir à sessão de abertura do festival, que exibiu o curta “Quantos eram para tá?”, de Vinícius Silva, que revela o cotidiano de três jovens negros estudantes da Universidade de São Paulo (USP), e o longa-metragem brasileiro “Temporada”, de André Novais Oliveira, que levou o prêmio de melhor filme do 51º Festival de Brasília.

Até o próximo domingo (11), serão exibidos 55 filmes nas mostras competitivas de longas e curtas-metragens, programa de clássicos e seleções especiais, além de encontros com realizadores e oficina Janela Crítica. "A gente teve um corte de orçamento que afetou vários festivais no Brasil, mas a gente está fazendo e fazendo bem com os 55 filmes. O janela tem um público cativo, que foi criando ao longo de dez anos, então estou muito feliz que decidimos fazer", ressaltou o diretor artístico do festival, Kleber Mendonça Filho.

Para a atriz Maeve Jinkings, sempre presente nas edições do Janela, o festival é uma experiência que independe de tempo de realização. "Essa relação com o tempo é como comparar um curta com um longa. Se for um curta que me permite mergulhar e viver coisas intensas dentro desse espaço dele, ele pode valer muito mais do que muitos longas. Esta edição é mais curta por conta do contexto histórico em que estamos vivendo, mas é uma edição mais densa", pontuou. "O mais importante é isso o que está acontecendo, é reunir as pessoas, porque a comunidade artística, de uma maneira geral, está muito apreensiva e tem sido muito atacada, então esse encontro é uma forma de renovar nossas convicções", acrescentou a atriz.

Programação
Da programação do festival, o diretor Kleber Mendonça Filho destacou a exibição dos clássicos brasileiros "Central do Brasil", de Walter Salles, que completa 20 anos em 2018, e "Pixote - A lei do mais fraco", de Hector Babenco. "É sempre difícil falar de destaque, mas, neste ano, temos a cópia restaurada de Central do Brasil, que é um filme muito importante na cinematografia brasileira, e Pixote. Todos os anos, quando a gente exibe os clássicos, a gente descobre que centenas de pessoas nunca tinham visto, então o jovem espectador descobrir um filme aqui no São Luiz é uma coisa muito importante pra gente", disse Mendonça Filho.

As exibições do Janela acontecem no São Luiz, no Cinema da Fundação, no bairro do Derby, também na região central do Recife, e no Cinema do Museu, em Casa Forte, na Zona Norte da capital. Nesta edição, o festival também conta com o recorte Mostra Brasil Distópico. Os quatro filmes do programa, das décadas de 1950, 1960 e 1980, apresentam visão futurista, com recursos de ficção científica.

O evento também apresenta filmes que se destacaram no circuito dos festivais
recentemente em sessões especiais, fora de competição. Entre eles, estão o longa
pernambucano "Azougue Nazaré", de Tiago Melo, que estreou no Festival de Roterdã; e "Domingo", de Clara Linhart e Fellipe Barbosa, que teve estreia no Festival de Veneza.

Um outro destaque da programação é a aula de cinema com a roteirista e realizadora Anna Muylaert, no dia 10, às 10h, no Cinema da Fundação, com a participação dos atores Fábio Leal e Maeve Jinkings, para a leitura do seu próximo roteiro.

Confira a programação completa:


Janela Internacional de Cinema do Recife
Janela Internacional de Cinema do RecifeFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
Kleber Mendonça Filho, diretor artístico do festival
Kleber Mendonça Filho, diretor artístico do festivalFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
Janela Internacional de Cinema do Recife
Janela Internacional de Cinema do RecifeFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
Cinema São Luiz
Cinema São LuizFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
Janela Internacional de Cinema do Recife
Janela Internacional de Cinema do RecifeFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

veja também

comentários

comece o dia bem informado: