"Clov’s, o Internacionável" é uma das atrações do festival
"Clov’s, o Internacionável" é uma das atrações do festivalFoto: Divulgação

A partir desta sexta (01), o Recife recebe novamente o Festival de Circo do Brasil. Já são 15 anos que a cidade sedia o evento, que nesta edição faz uma homenagem ao poder de superação dos artistas. "Esse conceito de super humanos se presta a diversas leituras. Mas a mais importante é essa necessidade de se valorizar o ser humano. A ideia partiu de uma análise inicial dos grupos que estamos trazendo neste ano, onde a maioria tem números com menos equipamentos, sem muita tecnologia. Tudo com um lado mais humanizado, desde o tema à performance em si", explica a coordenadora do festival, Karina Hoover, da Luni Produções.

Ao todo, serão 16 atrações em dez dias de evento, sendo onze nacionais e cinco estrangeiras. Além disso, haverá duas oficinas e exibição de três filmes com temática circense (o premiado documentário “Monga”, de Cris Siqueira; “Dumbo”, a versão live action do clássico da Disney; e “O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues). O grupo espanhol Zero En Conduta vai apresentar o espetáculo "Eh Man Hé", mesclando bonecos, dança e acrobacias, enquanto os franceses executam "A Mecânica das Sombras", um mix de dança e acrobacias em linguagem contemporânea. Duas companhias argentinas e uma uruguaia darão uma mostra do humor do circo de rua.

Leia também:
Escola Pernambucana de Circo encerra ciclo de 2018 na Zona Norte
Prêmio voltado para o circo é lançado no FIG
Filme brasileiro no Oscar, 'O Grande Circo Místico' estreia nos cinemas


As apresentações brasileiras trarão tanto artistas que se aproximam mais da linguagem teatral, como os que aprimoraram as técnicas tradicionais circenses. Serão três montagens pernambucanas: "Opá, Uma Missão", de Lívia Falcão, "Cenas Curtas", dos Doutores da Alegria; e as “Vivências Circenses”, da Cia Brincantes, com números de palhaçaria, equilibrismo e acrobacias.

Nos 14 festivais anteriores, o evento trouxe a Pernambuco mais de 200 atrações, somando um público de meio milhão de espectadores. Desta vez, haverá espetáculos nos teatros Santa Isabel, Apolo e Hermilo com ingresoss a preços populares, e encenações gratuitas em espaços públicos, como o Museu do Estado, Parque da Macaxeira, Recife Antigo e Poço da Panela. 



Confira a programação

Artista: Zero en Conducta (ESP)
Espetáculo: Eh man hé

Eh Man Hé é um fabuloso espetáculo que mistura técnicas de manipulação, dança, teatro físico e acrobacia. No picadeiro do Festival, ele traz o contexto do humano para o palco. Eh Man Hé é como são chamadas as pessoas que convivem com vários espíritos. Essa é a história de Nolan, um Eh Man Hé e seus cinco espíritos que ganham vida através de dançarinos, atores e acrobatas. Nolan é o protagonista, que em sua condição de fantoche se pergunta sobre suas emoções e imaginação: O que é que me comove? Ele faz uma viagem incerta para sair do seu estado de imobilidade, o que o faz prisioneiro e carcereiro ao mesmo tempo. Zero en Conducta é um projeto criado em 2011 pelo ator, diretor e artista circense José Antonio Puchades (Putxa) para explorar diferentes linguagens cênicas relacionadas ao movimento.

Artista: Cie Mecánique des Ombres
Espetáculo: La Mecánique des Ombres
Um virtuoso formado por atores, dançarinos e acrobatas. Com apenas mãos e pés descobertos em cena, o grupo faz um trabalho cênico gestual contemporâneo. Durante o espetáculo usam a luz como elemento de linguagem, criando um teatro de sombras, com números de acrobacia, equilíbrio, força e sincronismo. Nas coreografias, minuciosamente arquitetadas, a força e cadência do hip-hop, somada à música instrumental. La Mecánique des Ombres é um espetáculo de circo contemporâneo que ganhou aplausos e elogios da crítica européia e chega pela primeira vez ao Brasil. Uma consistente e inovadora pesquisa de linguagem dos artistas franceses.
Artista: Tato Villanueva (Argentina)
Espetáculo: Molavin

Molavin é uma fantástica ópera bufa, que conta a história de Boris, um homem de muitas faces: alquimista, contador de fábulas, místico, curandeiro e astrólogo, no tempo dos motores a vapor. O inquieto e instigante Boris questiona a eficácia das novas tecnologias e resolve testar algumas diante do público. O resultado é um espetáculo divertido, sedutor e inovador, trazendo comédia e drama numa incrível demonstração de talento do grande artista que é Tato Villanueva um ator, diretor, professor e palhaço, que iniciou a carreira em 2002, com espetáculos de rua percorrendo praticamente todos os países da América Latina e Europa.

Artista: Leticia Vetrano (Argentina)
Espetáculo: Fuera!

O espetáculo Fuera! foi idealizado e montado por Letícia Vetrano em 2007. No palco ela encarna Maria Peligro, uma mulher que desde a morte dos pais age como se nada tivesse acontecido, preservando hábitos e rotinas. No dia do seu aniversário, Maria Peligro acorda disposta a mudar, deixando aflorar seus desejos mais profundos. Dessa maneira, a personagem vai transformar sua triste história em um delírio cômico, com grande personalidade e linguagem poética e absurda. Leticia Vetrano começou a se dedicar à dança e à ginástica artística ainda criança, em Buenos Aires, consolidando uma carreira bem sucedida nos palcos.
Artista: Clap Clap (Uruguai)
Espetáculo: Gulp

Formada pelo clown e malabarista Joaquin Caride e pela atriz Irene Carrier, a Clap Clap Circus é uma companhia com extensa carreira internacional, somando apresentações pela Europa, Ásia, Índia e Estados Unidos. Para o Festival de Circo eles trazem o espetáculo Gulp, em que mostram técnicas apuradas para apresentações em rua. A dupla brinca com o clássico do “Elixir Mágico”, que era vendido nas cidades medievais sob a promessa de curas milagrosas. Uma encenação extremamente versátil, capaz de dialogar com públicos de todas as idades e que explora a capacidade cômica e forte linguagem corporal do Clap Clap.



Artista: Cia LaMala (SP)
Espetáculo: Intimo
Íntimo é um belíssimo espetáculo que explora a cumplicidade, nesse caso entre uma virtuosa dupla de acrobatas. Dois corpos que precisam um do outro para as performances, garantindo segurança, bem estar e intimidade. Ali está um casal, cada um com seus próprios sentimentos e desejos em relação à vida. Uma encenação poética, de técnica extremamente apurada, cheia de emoção, leveza, sensibilidade, força e sutileza. Íntimo já foi apresentado em vários países e festivais, sempre arrancando elogios da crítica especializada. A companhia paulistana é formada por Carlos Cosmai e Marina Bombachini, dois artistas com foco nas artes circenses e nas técnicas de acrobacia e mão a mão.

Artista: Cia Dual (SP)
Mostrar: Chulos
Criada em 2011 a Cia Dual se dedica a pesquisar e montar espetáculos e imersões artísticas tendo como matéria prima as mitologias e fenômenos da cultura brasileira. O aplaudido “Chulos”, foi lançado em 2017. A encenação é inspirada no rico universo da Folia de Reis, um dos mais típicos folguedos nacionais, celebrado em quase todos os estados. A chula é uma dança desafio realizado por palhaços em plena rua, durante os festejos. Os participantes precisam mostrar habilidade e também muita técnica para fazer acrobacias, giros e saltos.

Artista: Cia Va de Bordo (SP)
Espetáculo: O Mundo de Hundertwasser
O Mundo de Hundertwasser é uma peça inspirada na vida e obra do artista austríaco Friedensreich Hundertwasser (1928-2000), pintor, escultor e arquiteto que via as construções de maneira diferente. Criou prédios em espirais, linhas irregulares e arborizou telhados, iniciando o que hoje chamamos de arquitetura orgânica. A peça conta a história de Branca, uma menina que nunca teve contato com cores de verdade e só se relaciona com as telas e as janelas por meio de seu computador. A Cia Vá de Bordo é uma reunião de alguns dos mais talentosos artistas de circo teatral do país, entre eles o ator e músico Raul Baretto e atriz e bailarina Helena Cerello, com direção de Álvaro Assad.

Artista: Lá nos Fundos (SC)
Espetáculo: Clov’s O Internacionável
É uma grande pretensão do Festival de Circo do Brasil querer apresentar uma figura conhecida por fãs em todo mundo como ele: Clov's o mais internacionável dos internacionáveis artistas do universo. Falastrão e exigente - "como todo astro deve ser", o palhaço tem no público um parceiro ideal para seus números musicais e interações. Esse espetáculo solo, carregado de ironia, canções e humor, é interpretado pelo ator e instrumentista Fabiano Peruchi, com direção do próprio Peruchi e Márcio Libar. Criador da Cia Lá nos Fundos, Fabiano Peruchi tem mais de 30 anos de carreira, apresentando espetáculos tanto nas ruas quanto em teatros e onde quer que exista público. Clov’s é a terceira montagem da companhia.

Artista: Coletivo Lateral (SP)
Espetáculo: Probabilidades
Risco físico, incerteza sobre o resultado, expectativas em torno da apresentação... Probabilidades é uma investigação dessas questões, que fazem parte da natureza do circo. Os artistas formam pirâmides e gangorras humanas, entre outros números. Um corpo se apoia no outro e depois na barra, que serve de base para rolamentos, cambalhotas e saltos a metros do chão. O Coletivo Lateral surgiu da união dos artistas da Companhia Gravitá e do Grupo Eleve Circo e Arte, com o intuito de levar às ruas apresentações circenses que dialogam com o cotidiano.

Artista: Irmãos Atada (SP)
Espetáculo: Três Variando

Um divertido espetáculo infantil com malabares, prato chinês, danças e outros números que fazem parte do circo que é erguido em tempo real por artistas da Trupe Irmãos Atada. Eles apresentam ao público todo processo de montagem, desde o levantamento da lona sobre o picadeiro até a encenação dos números, que aliás, nem sempre dão certo - arrancando gargalhadas da plateia. Os integrantes da trupe demonstram grande habilidade com diferentes técnicas. Irmãos Atada é formada pelos artistas Anderson Spada, Emerson Almeida, Paulo Ygar e Sandro Fontes e está completando dez de existência em 2019, com cinco montagens diferentes no currículo.

Artista: Cia Suno (SP)
Espetáculo: Palhaçaria
A Cia Suno vem ao Festival de Circo do Brasil para fazer espetáculos sociais, apresentações de rua e ser mestre de cerimônia. Composta pelo casal Helena Figueira e Eduardo “Duba” Becker, a companhia trabalha com linguagem dos palhaços, mímica, teatro físico, acrobacia, equilibrismo e dança em suas montagens. Helena é formada na Ecole National du Cirque Annie Fratellini, em Paris. Duba é malabarista, acrobata e palhaço e já mostrou suas habilidades para plateias de todo o país, América do Sul e Europa.

Artista: Dona Zefinha (CE)
Espetáculo: O Circo sem Teto da Lona Furada dos Bufões
Circo, música, palhaçaria e comicidade fazem parte do cardápio de atrações do grupo Dona Zefinha, que faz homenagens aos artistas circenses populares, brincando com o imaginário dos “circos de lona furada”. Com mais de 20 anos de estrada, Dona Zefinha já montou 11 espetáculos cenomusicais e gravou 4 discos. Em 2014 eles também publicaram o livro "Artes da Enganação", pela instituição Casa de Dona Zefinha, com sede na cidade de Itapipoca (CE). A trupe circulou praticamente todo o Brasil, além de se apresentar em 10 países.

Artista: Lívia Falcão (PE)
Espetáculo: Opá - Uma Missão
Opá Uma Missão traz à cena a personagem Zanoia, uma benzedeira antiga, descendente direta da xamã mais velha de terras distantes, que um dia foram de seu povo perdido. Um lugar de abundâncias e milagres, de onde veio sua voz e a sua Opá, sua tenda, sua casa andante, seu ventre compartilhado. Zanoia recebeu de suas antepassadas a missão de rir de si mesma nas “sete direções”: Leste, Oeste, Norte, Sul, Acima, Abaixo e Dentro. Somente cumprindo essa missão, encontrará a dádiva-diamante escondida em seu corpo. O espetáculo, um monólogo, é encenado pela atriz e palhaça Lívia Falcão, com direção de Andrea Macera.

Artista: Doutores da Alegria
Espetáculo: Cenas Curtas
Cenas Curtas é o mais novo espetáculo do grupo Doutores da Alegria, conhecido por levar números circenses aos hospitais e unidades médicas, promovendo o sorriso como parte importante do tratamento das pessoas. Esta nova montagem reúne números de palhaços, alguns inspirados por situações e histórias que aconteceram nos hospitais, outros pelo aprofundamento da pesquisa de linguagem dos artistas. Em todas as cenas, muitas piadas, gags e sorrisos para crianças e adultos de todas as idades. A trilha sonora é tocada ao vivo pela Banda Besta, mestra em composições originais e versões engraçadas de músicas famosas.

Artista: Cia Brincantes
Espetáculo: Vivências Circenses

Além de produzir e promover espetáculos, a companhia desenvolve ações socioculturais e realiza pesquisas sobre a linguagem do circo. Em oito anos de atividade, apresentou três montagens: “Quatro”, “Cabaré” e “Tapioca”. A Cia Brincantes de Circo foi fundada em 2011 pelo ator, artista circense e produtor cultural Bóris Trindade Júnior. Borica, como é chamado, já participou de dezenas de montagens em seus mais de 25 anos de carreira artística e é um dos mais entusiasmados defensores da arte circense em Pernambuco.


Horários de programação

Dia 01/11 - Sexta
Teatro Santa Isabel
20h - Molavin (Tato Villanueva)- Classificação etária: 10 anos
Dia 02/11 - Sábado
Museu do Estado - 10h às 19h / Gratuito e Livre / Endereço: Av Rui Barbosa, 960, Graças
Feirinha do Circo - Mais de 20 expositores
Vivências Circenses (Cia Brincantes - PE)
Sonho de Uma Profissão (Rapha Santacruz - PE)
Chulos (Cia Dual - SP)
Gulp (Clap Clap - URU/ARG)
O Circo Sem Teto da Lona Furada dos Bufões (Cia D. Zefinha - CE)
Rascunho 37 (Cia Gravitá - SP)
Teatro Apolo
19h- Íntimo (Cia Lamala - SP) - Classificação etária: 10 anos
Teatro Sta Isabel
20h- Molavin (Tato Villanueva - ARG) - Classificação etária: 10 anos
Dia 03/11 - Domingo
Museu do Estado - 10h às 19h / Gratuito e Livre / Endereço: Av Rui Barbosa, 960, Graças
Feirinha do Circo - Mais de 20 expositores
Vivências Circenses (Cia Brincantes - PE)
Duba Becker (Cia Suno - SP)
Gulp (Clap Clap - URU/ARG)
O Circo Sem Teto da Lona Furada dos Bufões (Cia D. Zefinha - CE)
Rascunho 37 (Cia Gravitá - SP)
EXTERNA GRATUITA (LIVRE) / Recife Antigo
16h - Chulos (Cia Dual - SP)
Teatro Apolo
19h- Íntimo (Cia LaMala - SP) - Classificação etária: 10 anos
Dia 05/11 - Terça
Teatro Apolo
10h- O Mundo de Hundertwasser (Cia Va de Bordo - SP)/Programação para escolas
15h- O Mundo de Hundertwasser (Cia Va de Bordo - SP)/Programação para escolas
Estúdio Luni
14h- Oficina “O Elo Perdido”, por Tato Villanueva e Leticia Vetrano (inscrições limitadas pelo email [email protected])
Teatro Hermilo
19h30- La Mecánique des Ombres (Cie Mecánique des Ombres - FRA) - Classificação etária: 10 anos
CINEMA GRATUITO* Cinema do Museu. Fundação Joaquim Nabuco, Av 17 de Agosto, 2187, Casa Forte
20h- O Grande Circo Místico - Classificação etária: 16 anos
*Sujeito à lotação do cinema
Dia 06/11 - Quarta
Teatro Apolo
10h- O Mundo de Hundertwasser (Cia Va de Bordo - SP)/Programação para escolas
15h- O Mundo de Hundertwasser (Cia Va de Bordo - SP)/Programação para escolas
Estúdio Luni
14h- Oficina “O Elo Perdido”, por Tato Villanueva e Leticia Vetrano (inscrições limitadas pelo email [email protected])
EXTERNA GRATUITA (LIVRE) / Sítio da Trindade
10h- Palhaçaria (Cia Suno - SP)
Teatro Hermilo
19h30- La Mecánique des Ombres (Cie Mecánique des Ombres - FRA) - Classificação etária: 10 anos
CINEMA GRATUITO* Cinema do Museu. Fundação Joaquim Nabuco, Av 17 de Agosto, 2187, Casa Forte
20h- Monga - Classificação etária: 12 anos
*Sujeito à lotação do cinema
Teatro Sta Isabel
20h- Clov’s, o Internacionável (Cia Lá nos Fundos - SC) - Classificação etária: livre
Dia 07/11 - Quinta
Teatro Apolo
10h- O Mundo de Hundertwasser (Cia Va de Bordo - SP)
15h- O Mundo de Hundertwasser (Cia Va de Bordo - SP)
Estúdio Luni
14h- Oficina “O Elo Perdido”, por Tato Villanueva e Leticia Vetrano (inscrições limitadas pelo email [email protected])
Teatro Hermilo
19h30- Probabilidades - (Coletivo Lateral - SP). Classificação etária: Livre
Teatro Sta Isabel
20h- Eh Man Hé (Zero en Conducta - ESP) - Classificação etária: 10 anos
Dia 08/11 - Sexta
Teatro Apolo
19h- Fuera! (Letícia Vetrano - ARG) - Classificação etária: 10 anos
Teatro Hermilo
Oficina “Objetos e Corpo em Equilíbrio (Cia Suno-SP)
EXTERNA GRATUITA (LIVRE) / Compaz Governador Eduardo Campos (Alto Sta Terezinha)
16h- Probabilidades (Coletivo Lateral - SP)
Teatro Sta Isabel
20h- Eh Man Hé (Zero en Conducta - ESP) - Classificação etária: 10 anos
Dia 09/11 - Sábado
EXTERNA GRATUITA (LIVRE) / Parque da Macaxeira
16h- Gulp (Clap Clap - URU/ARG)
Teatro Hermilo
18h- Opá, Uma Missão (Lívia Falcão - PE) - Classificação etária: Livre
Teatro Apolo
16h30- Três Variando (Irmãos Atada - SP) - Classificação etária: Livre
Teatro Marco Camarotti (Rua 13 de Maio, 455 / Sesc - Santo Amaro)
16h- Cenas Curtas (Doutores da Alegria - PE) - Classificação etária: Livre
Teatro Sta Isabel
20h- Molavin (Tato Villanueva - ARG) - Classificação etária: 10 anos
Dia 10/11 - Domingo
EXTERNA GRATUITA (LIVRE) / Poço da Panela - a partir das 16h
Feirinha do Poço
Palhaçaria (Cia Suno - SP)
Clov’s, O Internacionável (Cia Lá Nos Fundos - SC)
EXTERNA GRATUITA (LIVRE) / 2º Jardim - Boa Viagem
16h- Gulp (Clap Clap - URU/ARG)
Teatro Apolo
16h30- Três Variando (Irmãos Atada - SP) - Classificação etária: Livre
Teatro Marco Camarotti (Rua 13 de Maio, 455 / Sesc - Santo Amaro)
16h- Cenas Curtas (Doutores da Alegria - PE) - Classificação etária: Livre
CINEMA GRATUITO* Cinema do Museu. Fundação Joaquim Nabuco, Av 17 de Agosto, 2187, Casa Forte
14h- Dumbo - Live action - Classificação etária: Livre
*Sujeito à lotação do cinema.
Teatro Hermilo
18h- Opá, Uma Missão (Lívia Falcão - PE) - Classificação etária: Livre

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: