Criado em 2014, o Afoxé Ará Omim nasceu a partir de projetos sociais que surgiram dentro das escolas municipais
Criado em 2014, o Afoxé Ará Omim nasceu a partir de projetos sociais que surgiram dentro das escolas municipaisFoto: José Britto / Folha de Pernambuco

Promover a ocupação de espaço, visibilidade, quebra de tabus e muita manifestação cultural. É com esta bandeira que o grupo Afoxé Ará Omim realiza, neste sábado, a partir das 9h, na Casa da Cultura, uma série de atividades gratuitas. Na programação do projeto "O Povos das Águas", shows dos grupos Afoxé Omô Nile Ogunjá e Ará Omim, oficinas de dança e percussão, além de debate sobre cultura popular com a antropóloga Lady Selma Albernaz e o presidente do Omô Nilé Ogunjá, Dário Pereira Júnior. A ação acontecerá uma vez por mês até maio de 2020.

Segundo o presidente do Afoxé Ará Omin, Lourival Santos, "O Povos das Águas" é uma forma de evidenciar a cultura popular em todas as épocas do ano. "Estamos aqui em busca de visibilidade. Os afoxés só garantem espaço basicamente no Carnaval. Mas os nossos trabalhos socioculturais são contínuos. E sentimos a carência de atividades no centro da Cidade. Escolhemos um local com referência cultural, que tem grande importância para o Estado. A ideia é movimentar o espaço com atividades realizadas de vários pontos da periferia do Recife. É um momento de intercâmbio", enfatizou, em entrevista à Folha de Pernambuco.

Leia também:
Roberto Menescal encontra Toquinho em show no Recife
Afoxé é resistência contra o racismo, Maracatu vai além da religião

As dificuldades de fazer cultura popular será tema a ser discutido durante o projeto. De acordo com Lady Selma, professora da UFPE e antropóloga, existe a necessidade do diálogo sobre o assunto. "A cultura popular é uma expressão de arte ligada às relações sociais. Só muito recentemente é que o Estado veio ter uma linha de financiamento público. É preciso conversar sobre isso. Minha expectativa é de que muitas pessoas possam ir assistir, para debater um pouco sobre isso com pessoas que estão ligadas diretamente com a cultura popular. Eu acho que essa troca fica mais interessante ainda", destacou.

Criado em 2014, o Afoxé Ará Omim nasceu a partir de projetos sociais que surgiram dentro das escolas municipais dos bairros de Vasco da Gama e Nova Descoberta. Hoje, o grupo conta com 30 integrantes fixos com grupos de percussão, dança e vocal. "Um dos frutos destes projetos foi um grupo de dança. Sentimos a necessidade de dar continuidade ao projeto, até pela carência do resgate social da nossa comunidade", contou Lourival. Outra vertente de frente que Afoxé Ará Omim garante é a luta contra a quebra de preconceitos no dia a dia. "Nosso afoxé tem a pegada social e de muita luta contra intolerância religiosa. É uma batalha diária que a gente trava. Eu existo, eu resisto.", diz o presidente.


Programação:

9h - oficina de dança
9h - oficina de percussão
14h - debate: as dificuldades de se fazer cultura popular com a antropóloga Lady Selma Albernaz e o presidente do Omô Nilé Ogunjá, Dário Pereira Júnior.
15h - show Afoxé Omô Nilé Ogunjá
15h30 - show Afoxé Ará Omim

Serviço:
O Povo das Águas
Hoje, 9 de novembro
Local: Casa da Cultura (Raio Leste 201, 2° Piso, R. Floriano Peixoto, sn - São José)
Horário: a partir das 9h

Criado em 2014, o Afoxé Ará Omim nasceu a partir de projetos sociais que surgiram dentro das escolas municipais
Criado em 2014, o Afoxé Ará Omim nasceu a partir de projetos sociais que surgiram dentro das escolas municipaisFoto: José Britto / Folha de Pernambuco
Afoxé Ará Omim promove atividades culturais
Afoxé Ará Omim promove atividades culturaisFoto: Jose Britto/Folha de Pernambuco
Afoxé Ará Omim promove atividades culturais
Afoxé Ará Omim promove atividades culturaisFoto: Jose Britto/Folha de Pernambuco
Afoxé Ará Omim promove atividades culturais
Afoxé Ará Omim promove atividades culturaisFoto: Jose Britto/Folha de Pernambuco

veja também

comentários

comece o dia bem informado: