Grupo Totem em apresentação da performance "Nem tente"
Grupo Totem em apresentação da performance "Nem tente"Foto: Divulgação

Antes, abandonado, roubado e danificado, o Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro, em Camaragibe, ganha nova vida desde o começo do ano através da Fundação de Cultura de Cidade. Desta terça-feira (17) até domingo (22), o palco do Cine recebe o 1º Encontro de Artes Cênicas, que reúne artistas e empreendedores. O evento conta com o tema “Interdisciplinaridade e Empreendedorismo nas Artes Cênicas” e é gratuito.

“Até o momento não houve um encontro nessa linha. A gente vem trabalhando com a ruptura de paradigmas e o processo de educação e intercâmbios culturais, explorando um contexto sociopolítico cultural da arte", explica o ator, performer e produtor Ângelo Fábio, diretor do Cine Teatro e organizador do evento.

“O tema serve para podermos ver o leque de atividades que é o universo das artes, observar os diversos segmentos artísticos. Questionamos: como é que nós, artistas, vamos viver? Como o artista pensa como empresário, como produtor, como gestor? Estamos tendo um leque de possibilidades e um leque de produções bem interessantes”, complementa, acreditando que debates e discussões são importantes para a formação dos artistas e da plateia.

Situado na Vila da Fábrica, o teatro volta a receber espetáculos de dança, teatro, circo e performance. Não se trata, contudo, de uma reinauguração do local: a Fundação promove a ocupação desse espaço. "O evento é bastante importante porque marca a reutilização do palco do Cine Teatro. Esse palco estava isolado, condenado com alguns cupins, porque o Teatro ficou muito tempo abandonado. Antes de qualquer coisa, antes da política, nós somos artistas e não ficamos esperando de braços cruzados recursos do governo".

Leia também:
Festival Sonora no Recife e Camaragibe mostra força das mulheres na música
Fechado desde 2010, Teatro do Parque recebe nova visita técnica
'Amores Canibais', da Netflix, traz a sobrevivência em seu limite


"Começamos a utilizar o espaço desde o começo do ano para palestras, atividades e o festival de cinema Varilux. É algo que, no cenário pernambucano de equipamentos culturais esquecidos, marca o teatro com essa vida, com esse oxigênio. É um posicionamento político e artístico também, porque as coisas acontecem graças a força de vontade", pontua Karolina Pacheco, diretora de comunicação da Fundação.

O evento, segundo Ângelo, se fundamenta em um processo de inspiração e de autoestima das artes cênicas dentro do município de Camaragibe, gerando uma demanda e uma dinâmica de pensamentos em níveis estadual, municipal e internacional. "No teatro nós temos um equipamento de grande potencial, nós não podemos nos limitar apenas à esperança de que os gestores públicos municipais invistam nele. Nós temos que ocupar esse espaço, pois ele não é da gestão, ele é da população camaragibense. A comunidade está começando a acreditar nesse processo coletivo e cooperativo", analisa o artista.

Eclética, a programação do evento puxa para a cadeia de economia criativa: espetáculos de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, performances e música são alguns dos elementos que estarão presentes durante a semana, como o espetáculo de dança "Terezinha", produzido por Rebeca Gondim, e a performance "Nem tente", do grupo Totem. O evento vai contar ainda com debates e workshops, reunindo nomes de referência nacional e internacional no setor, exibições de audiovisual e feirinha de artesanato. As atividades são gratuitas e vão contemplar todas as faixas etárias, mas para algumas apresentações é preciso verificar previamente a classificação indicativa.

Serviço:
Desta terça-feira (17) a domingo (22)
Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro (Av. Dr. Pierre Collier, 167 - Camaragibe)
Gratuito
Informações: 3484-2687

Confira a programação completa:

19 de outubro (quinta-feira), das 14h às 17h

Pedro Vilela (Recife/PE)
Tema: TREMA Festival: O que se desenvolve? Experiências e produções de pensamentos

Rose Mary Martins (UFPE)
Tema: Empreendedorismo e Produção nas Artes Cênicas

Cleison Ramos (Recife/PE)
Tema: A importância da luz na cena

Apresentação artística: ÓPERA BUFO

20 de outubro (sexta-feira), das 14h às 17h

Geraldo Cosmo – Grupo Teatral Risadinha (Camaragibe/PE)
Tema: Duas décadas de resistência do Grupo Teatral Risadinha.

Rita Marize (Recife/PE)
Tema: Palco Giratório

Fábio André – Galpão das Artes (Limoeiro/PE)
Tema: Militância e resistência cênica no cenário pernambucano.

Apresentação artística: ANA DE FERRO

21 de outubro (sábado), das 14h às 17h

Érico José (UFBA)
Tema: Artes do Espetáculo entre vida, pesquisa e empreendedorismo.

Elis Galvão
Tema: Acreditar numa cidade onde o fracasso é a única esperança – a experiência da Liga Produções, Pontos de Cultura e Projetos Culturais em Camaragibe

Paulo Michelotto
Tema: Desconstrução nas Artes Cênicas

Apresentação artística: ZOÉ (coletivo CARNE)

22 de outubro (domingo), das 14h às 21h


Apresentações artísticas

Workshops:

Erico José (Tema: Direção e Atuação)
18/10 - Quarta 8h às 12h / 14h às 17h
19/10 - Quinta 8h às 12h
20/10 - Sexta 8h às 12h
21/10 - Sábado 8h às 12h

Rose Mary Martins (Tema: Empreendedorismo e Produção nas Artes Cênicas)
17/10 - Terça 14h às 17h
18/10 - Quarta 14h ás 17h
20/10 - Sexta 8h às 12h
21/10 - Sábado 8h às 12h 

Grupo Totem em apresentação da performance "Nem tente"
Grupo Totem em apresentação da performance "Nem tente"Foto: Divulgação
Performance "Terezinha", de Rebeca Gondim
Performance "Terezinha", de Rebeca GondimFoto: Divulgação
Ângelo Fabio em performance
Ângelo Fabio em performanceFoto: Divulgação
Roma Júlia em "Contação de Histórias"
Roma Júlia em "Contação de Histórias"Foto: Divulgação
Espetáculo "Uma brincadeirinha de rua", do grupo Fuzarca
Espetáculo "Uma brincadeirinha de rua", do grupo FuzarcaFoto: Divulgação

veja também

comentários

comece o dia bem informado: