Holística

Mariomar Teixeira

ver colunas anteriores
Psicopedagoga Roberta Claro
Psicopedagoga Roberta ClaroFoto: Débora Claro

Quando os meus filhos foram para escola sempre tive o interesse de conhecer os métodos desenvolvidos e a equipe que trabalha na instituição, principalmente Professores, Psicólogos e Psicopedagogos. Em cada semestre solicitava uma reunião com as Psicólogas e as Psicopedagogas. Assim foi em todo período que meus filhos estudaram até entrarem na universidade.

Muitos pais desconhecem a existência desses profissionais dentro das escolas. Assim como, às vezes, quando procuram os Psicopedagogos, os filhos já estão com risco de perder mais um ano. Fator que afeta o bolso dos pais, mas também a autoestima da criança, já que muito caso não se trata de preguiça ou só querer brincar. Muitos casos se referem do filho precisar de profissional para seguir em frente com vitória.

Assim, já que estamos no início do período escolar e por conhecer o excelente trabalho desenvolvido pela Psicopedagoga Roberta Claro, eu a convidei para escrever sobre sua profissão.

Roberta, o que é a Psicopedagogia?
"A Psicopedagogia é o campo de atuação em saúde e educação que lida com o processo de aprendizagem humana, no seu percurso normal ou não, considerando a influência da família, escola e sociedade, no seu desenvolvimento. Ela possui um papel decisivo e importante na construção do bom desempenho escolar, ou seja, do sucesso escolar, trabalhando com as dificuldades de aprendizagem e suas vicissitudes, dentro da realidade vivida por cada criança, jovem, adulto e até idosos."

Como é o trabalho do Psicopedagogo?
"O Psicopedagogo é o profissional responsável por detectar e tratar possíveis obstáculos no processo de aprendizagem. Ele é procurado quando as dificuldades já estão presentes, e seu papel é avaliar e estabelecer um plano de intervenção. No entanto, a Psicopedagogia não se caracteriza apenas como uma área que atua quando já existe o problema ou dificuldade, mas pode atuar também de forma preventiva, no intuito de evitar que elas se instaurem. É a esse objetivo que se propõe a Psicopedagogia Institucional. Atuando nas escolas com a dinâmica da instituição e com a formação de professores, orientando e auxiliando na organização das atividades e, consequentemente, no processo de aprendizagem dos alunos.

O trabalho do psicopedagogo torna-se mais real a possibilidade do acolhimento, da descoberta, das práticas, dos métodos, do entender-se e compreender-se como sujeito que pode e que tem direito de aprender, de adequar-se e ser inserido na escola de forma atuante. Tem a função de facilitar o processo de aprendizagem, observando tanto o aluno, quanto o professor, o seu processo de aprender e de ensinar, o seu objetivo é a investigação, a observação de quem está de fora do contexto envolvido, ele se integra e participa da comunidade escolar."

Em que situação o Psicopedagogo mais desenvolvem o seu trabalho, seja na instituição escolar ou na clínica?
"Em crianças que possuem alguma dessas deficiências têm dificuldades de acompanhar o ritmo da escola e muitas vezes podem sofrer problemas sérios como bullying, reprovação e desmotivação para ir à escola. Assim como, também, as crianças podem apresentar caso de Autismo, dislexia, TDAH e Discalculia entre tantas, que são uma das principais causas do atraso e dificuldade na construção do conhecimento pelas crianças.

Normalmente quem procura um psicopedagogo clínico são os pais que percebem que seus filhos estão com déficit na aprendizagem, baixo rendimento escolar, notas baixas e que muitas vezes não estão acompanhando a turma. E as escolas também encaminham seus alunos para avaliação e reabilitação psicopedagógica, muitas vezes quando percebem dificuldades no processo ensino-aprendizagem.

Ultimamente, em meu consultório, tenho recebido cada vez mais cedo crianças com problemas na aprendizagem, principalmente na fase da alfabetização, muita com dificuldades para se alfabetizar e outras crianças que leem, mas não conseguem compreender aquilo que leram.

Diante desses fatos de tantas crianças com dificuldades no processo da alfabetização desenvolvi um material prático com jogos lúdicos, chamado ROUTE Neuroaprendizagem com a finalidade de trabalhar elementos essenciais para a alfabetização tais como a consciência fonológica, realismo nominal, entre outros."

Você lançou no ano passado o livro Neuroaprendizagem - estratégias de leitura e escrita e agora criou a Caixa de Jogo Route. Também disponbiliza gratuitamente um e-book sobre o tema Neuroaprendizagem (por sinal, eu já baixei e li. Parabéns). Pode falar sobre o assunto?
"A Neuroaprendizagem é o que podemos definir como o ato de aprender, tendo como base as funções cerebrais. Em outras palavras, tudo que seja referente ao aspecto cognitivo, entre eles: a linguagem, a capacidade de raciocinar, memorizar, tomadas de decisão, concentração, entre outros.

A Caixa ROUTE foi baseada no meu livro Neuroaprendizagem estratégias de leitura e escrita. Pensado para profissionais ou até mesmo pais que queiram estimular as crianças nesse processo e facilitar a leitura e escrita.

O e-book tem a finalidade de auxiliar professores, profissionais da área de saúde e parentes no processo de aprendizagem da criança. São dicas práticas que podem ajudar no processo de aprendizagem em casos de autismo, dislexia, TDAH e discalculia." Para baixar grátis é só acessar http://bit.ly/ebook-neuroaprendizagem

Roberta, você também é a atual Presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia Seção Pernambuco. Qual a sua preocupação nessa área?
"Atualmente como Presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia Seção Pernambuco tenho uma grande preocupação com a formação dos Psicopedagogos na sua caminhada e no seu desenvolvimento profissional para que os mesmos possam estar sempre atualizados e fazendo o melhor de si, dando suportes com formação, cursos e supervisões.

Afinal, o aprender também faz parte de todos profissionais que atuam na sua área específica. Aprender, também, significa modificar-se, é preciso criar condições favoráveis ao aprendizado ancoradas sobretudo em emoções, ações ligados à de emoção provoca mudanças significativas no cérebro, de forma que planejar intencionalmente momentos de aprendizagem oferece possibilidades de treinar as funções executivas e reunir os materiais para criar o tipo de ambiente de conhecimento para área de atuação. A aprendizagem deve ser orientada de modo a oferecer mais possibilidades de aprender a aprender, seja qual for o profissional, a idade, área de atuação e local. Todos nós somos eternos alunos para aprender sempre."

Eu e o leitor internauta só temos que agradecer e concluir com a frase da grande Poetisa e Doceira Cora Coralina (1889 – 1985): “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.”

Profissional que contribuiu com a coluna (grata pelo carinho de sempre):

Roberta Claro – Psicanalista, Neuropsicologa, Psicopedagoga e Psicomotricista. Contatos: (81) 99670-0071 - Site: www.routecti.com.br - Fanpage: www.facebook.com.br/RouteNeuroaprendizagem - Instagram:@psicodialogandocomrobertaclaro - e-mail: robertaclaroromao@gmail.com

* Mariomar Teixeira - Numeróloga & Consultora: de Feng Shui, de 4 Pilares e de Zi Wei Dou Shu. Contatos: (81) 99807.4568 - Tim e WhatsApp / (81) 99100.9617 (Claro) – E-mail: holisticarec@gmail.com.

Formada em Secretariado na UFPE com mestrado em Extensão Rural e Desenvolvimento Local na UFRPE. Filha, esposa e mãe. Ama ler, estudar, tricotar e cozinhar. Dedica-se aos estudos de metafísica desde 1980, principalmente Numerologia. Em 1993, além de assumir um concurso público federal, também o trabalho como numeróloga é reconhecido. Colunista da Folha de Pernambuco de 1998 a 2005, coluna Numerologia. No mesmo período foi colunista da Revista Club com as colunas: Holística e Lançamento de livros. Professora e Consultora de Feng Shui desde 1997.

* A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: