Drake em 'Toosie Slide'
Drake em 'Toosie Slide'Foto: Reprodução/Divulgação

Uma espécie de passatempo durante o isolamento social por causa do coronavírus, o aplicativo Tik Tok vem se tornando uma febre na quarentena. A rede social de gravação de vídeos curtos - entre 15 e 60 segundos - permite fazer vídeos com ou sem dublagem, além de oferecer filtros e efeitos para serem usados na sua produção, e parte do conteúdo mais popular da rede envolve danças e músicas, através dos ‘challenges’, como são chamados os desafios. A plataforma vem mostrando relevância na indústria da música, e também um potencial criador de sucessos.

Apesar de estar sendo bastante explorado agora, o aplicativo surgiu em 2017, numa fusão entre o Douyin e o Musical.ly. A plataforma pertence a uma empresa chinesa chamada ByteDance, considerada a startup mais valiosa do mundo, custando 75 bilhões de dólares. O aplicativo tem se popularizado tanto que dados do relatório da SensorTower Analytics provam que o aplicativo se tornou o terceiro mais baixado no mundo no mês de abril.


Potencial

Com grande foco em música, o aplicativo conta com um imenso arquivo de trechos de musicais, que passeiam por vários ritmos. Quando prepara um vídeo, o usuário pode navegar por essa biblioteca e selecionar a música que quer utilizar. Qualquer um - perfis comuns, artistas ou gravadoras - pode subir um arquivo de áudio, e é aí que a música pode viralizar.

O poder do TikTok é tão grande que até vem influenciando nas paradas musicais. Atualmente as músicas mais ouvidas no mundo, passaram primeiro pelo Tik Tok, Com mais de 1,5 bilhão de downloads e o poder de colocar músicas até então desconhecidas no Top 100 da Billboard, é inegavelmente um potencial que músicos devem aproveitar, e Rodrigo Barbosa, community manager do TikTok no Brasil, deixa isso claro: “Acreditamos que o TikTok oferece muitas oportunidades de negócios em potencial interessantíssimas para marcas e criadores”.

Leia também:
Lives da semana: confira a programação completa
Drake arrecada fundos para orfanato em Uganda após divulgar vídeo de crianças


Uma marcante história de sucesso no TikTok é da música ‘Old Town Road’, de Lil Nas X. O app foi crucial para o sucesso da faixa, com a hashtag “#yeehaw”, que gerou milhares de vídeos com mais de 70 milhões de visualizações. A música se tornou viral e gravadoras tomaram conhecimento do cantor, que fez um remix da canção e se tornou sucesso na ‘Billboard Hot 100’ durante dezenove semanas.



Já “Tudo OK”, single de brega-funk de Thiaguinho MT e Mila, hit do Carnaval, obteve grande projeção no TikTok. Lançado pelo selo KondZilla, a música foi impulsionada ao aparecer em vídeos de usuários se arrumando para sair, seguindo as instruções da letra (“cabelo ok marquinha ok sobrancelha ok a unha tá ok”).

O aplicativo tem fechado parcerias com gravadoras. A música do DJ Rennan da Penha, “Carnaval Chegando”, por exemplo, foi lançada primeiramente no TikTok. Depois de dois dias de presença exclusiva no aplicativo, ela apareceu em outras plataformas de streaming.


Ninguém menos

Recentemente, ninguém menos que o rapper e produtor canadense Drake lançou sua nova música “Toosie Slide” com um objetivo bem claro: viralizar no TikTok. O rapper lançou o clipe para o single mostrando os passos para o “desafio” na própria letra, que faz referências a Michael Jackson: “Pé direito para cima, pé esquerdo escorrega / Pé esquerdo pra cima, pé direito escorrega”.



Sobre estratégias em volta dos influencers, Rodrigo responde: “Embora a plataforma tenha atraído gradualmente celebridades e influenciadores, o TikTok também nutriu nossas “estrelas do TikTok”. Somos encorajados pelo número crescente de “pessoas comuns” que estão entrando na plataforma e se expressando de forma criativa”. Uma prova disso é a estudante de publicidade e propaganda Vanessa Lopes, que está bombando no TikTok, e já acumula mais de 180 mil seguidores na plataforma, devido suas mais de 500 coreografias.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: