Maria Barbosa, professora aposentada, pedagoga e advogada
Maria Barbosa, professora aposentada, pedagoga e advogadaFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Órfã de mãe desde os quatro anos, e criada com zelo e amor por seu pai, Ladislau, Maria Barbosa sempre soube da importância da figura paterna na formação das crianças. Talvez por isso tenha se sensibilizado tanto quando se deparou com a situação de seus alunos, na época em que era professora de Educação Física numa escola do município de Escada (PE).

Era o ano de 2001, e Maria presenciou uma briga entre dois adolescentes, após um esbarrão numa partida de futebol. Xingado de "filho da puta", um dos meninos ficou tomado de ódio e retrucou que o colega só o chamou disso porque ele não tinha o nome do pai no registro. A dor dele calou tão fundo dentro dela, que virou semente para o projeto "DNA Já - não posso esperar". Ao longo de 18 anos, o projeto beneficiou mais de 600 crianças e adolescentes da região, e acaba de virar um livro que conta a saga de Maria Barbosa, ao longo desse processo.

Leia também:
Cleodon Coelho lança biografia oficial de José Pimentel
Cleodon Coelho reúne personalidades em torno do lançamento da biografia de José Pimentel
Cepe relança livro clássico de Silviano Santiago

"Em nome dos filhos" traz o registro de uma verdadeira situação de calamidade pública muito comum no Brasil, e que causa sequelas graves à autoestima dos "filhos sem pai". "É preciso respeitar a cidadania, os direitos que cada criança tem assegurados pela Constituição", destaca Maria, que também é pedagoga e advogada. Na época em que começou o projeto, havia casos em que os processos tramitavam até 15 anos na Justiça. Hoje, se não houver complicações adicionais, o tempo é de apenas 30 dias - e o valor dos testes caiu drasticamente, ficando em torno de R$ 300.

O livro traz relatos saborosos de diversos casos, inclusive a situação insólita de uma mulher que engravidou de gêmeos, sendo que um era do marido, e o outro, do vizinho. Além do relato ser interessante por si mesmo, Maria Barbosa teve a feliz ideia de chamar o jornalista e escritor Cleodon Coelho para contar essa história.

Amizade

Ela descobriu a existência de Cleodon após ver uma matéria na televisão falando de seu terceiro livro, uma biografia do ator José Pimentel. Ela teve trabalho até conseguir localizar o escritor, com quem acabou desenvolvendo uma relação de amizade baseada em afeto, troca de informação e muitos chocolates sonho de valsa. Segundo Cleodon, foram cerca de dois meses escrevendo a obra - o que resultou em 128 páginas de escrita fluida e atrativa, que refletem a paixão de Maria por seu trabalho e a alegria de poder ajudar tantas pessoas a (re)construírem suas próprias histórias.

Serviço:
Lançamento do livro "Em nome dos filhos", de Cleodon Coelho
(edição do autor, R$ 40, 128págs)
No Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Pernambuco (OAB-PE; 
rua do Imperador Pedro II, 346 - Bairro de Santo Antônio)
Nesta quinta-feira (4), às 19h 

Maria Barbosa, professora aposentada, pedagoga e advogada
Maria Barbosa, professora aposentada, pedagoga e advogadaFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Cleodon contou a história de Maria, que buscou melhorar a vida de crianças e jovens sem registro de paternidade
Cleodon contou a história de Maria, que buscou melhorar a vida de crianças e jovens sem registro de paternidadeFoto: Julya Caminha/Folha de Pernambuco

veja também

comentários

comece o dia bem informado: