Cantor morreu suspeita da Covid-19
Cantor morreu suspeita da Covid-19Foto: Wikipedia

O cantor e compositor mexicano Óscar Chávez, que com sua música acompanhou lutas sociais e cantou para Macondo - a cidade imaginária de Gabriel García Márquez - morreu nesta quinta-feira (30) na Cidade do México aos 85 anos de idade, após apresentar sintomas da COVID-19.

Óscar Chávez era "um representante da música tradicional e mexicana que, com seu trabalho, conseguiu retratar a realidade da sociedade mexicana e dar voz às causas justas com sua música", escreveu o Ministério da Cultura do México no Twitter.  Na quarta-feira, o cantor foi internado em um hospital público na capital mexicana após apresentar sintomas da COVID-19, segundo a gravadora do artista. 





Leia também:

Morre o empresário Ricardo Brennand, aos 92 anos, vítima da Covid-19

Funkeiro MC Dumel morre na Bahia vítima de coronavírus aos 28 anos

Mulher morre em confusão por máscara em hipermercado no Paraná

Considerado um dos maiores expoentes do Canto Novo no México, ele acompanhou o Movimento Estudantil de 1968 e o Exército Zapatista de Libertação Nacional nos anos 90, com suas canções.  O sucesso ocorreu após sua participação no filme "Los Caifanes" (1967), de Juan Ibáñez, considerado uma maravilha do cinema mexicano independente.

Lá ele tocou "La Niña de Guatemala", que é originalmente um poema do cubano José Martí.  Seu legado é composto por mais de 25 álbuns, nos quais sua paixão pelo bolero se destaca.  Durante sua carreira, compôs músicas baseadas em vários autores, como o mexicano Sor Juana Inés de la Cruz, Amado Nervo e Gilberto Owen, além de García Márquez.

 

 

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: