Mariely Santos, Paloma Silva, Mirella Santos
Mariely Santos, Paloma Silva, Mirella SantosFoto: Jose Britto/Folha de Pernambuco

Nome novo e fase nova. Mas é na essência de sempre que as pernambucanas Paloma Silva, Mirella e Mariely Santos, ou simplesmente MC Loma e as Gêmeas Lacração, recentemente rebatizadas artisticamente de "Loma e as Gêmeas", retornam, neste final de semana, aos palcos da Capital pernambucana. A apresentação mais esperada acontece neste sábado (30), a partir das 23h, no Clube Metrópole, depois de quase dois anos de tentativa em trazer o trio para a casa. No ano passado, a casa não conseguiu autorização judicial, uma vez que Loma era de menor, com 16 anos, e precisava estar matriculada na escola.

Depois de muita luta para trazer o trio, a produtora cultural Maria do Céu celebra: “A gente, por ser uma casa LGBT, sempre existe muita fiscalização. Eu gostaria que essa fiscalização ocorresse em todos os locais. Estamos muito felizes em ter dado tudo certo dessa vez. Vai ser uma energia metropolitana histórica”. Na terça (26), Maria comandou coletiva de Imprensa com as artistas na famosa boate na rua das Ninfas, onde revelaram planos para a carreira.




Leia também:
Exposição sobre a vida de Zélia Gattai e Jorge Amado entra em cartaz na Caixa Cultural
Com 'Malévola', MC Loma e As Gêmeas Lacração ressurgem às vésperas do Carnaval

O sucesso avassalador com o hit "Envolvimento", em 2018, foi o pontapé do grupo para a explosão nacional. Acompanhando o reconhecimento, as dificuldades começaram a aparecer, exemplo disso foi a pausa nos shows por questões judiciais. Ao ser questionada sobre a volta, Loma contou sobre a base que sustenta o trio. "Nossa relação com nossos fãs é a melhor relação de todas. Eles estão abraçando sempre a gente. Muito apoio e carinho. A gente pensou que, com a pausa dos shows, isso ia mudar. Mas, como sempre, Deus e nossos fãs nos surpreendem. Foi por causa deles que não desistimos", enfatizou.

Durante a coletiva de Imprensa, sempre descontraídas e sorridentes, as três expressaram a felicidade de estarem de volta. “A expectativa está um milhão. Essa casa é um dos polos mais fortes LGBTs da Cidade. É o nosso público, o público que a gente mais ama. Nos abraçaram. Eles não vão largar a gente, e nem a gente eles", destacou. O trio garantiu muita agitação, com variedades de ritmos e equipe de bailarinos completa.

Não é muito difícil perceber que o sucesso das pernambucanas também conta com a sintonia e amor entre as amigas. Segundo Loma, com sucesso ou não, o que importa é a união delas. "No futuro, eu enxergo o trio junto. Com muita saúde, muito feliz. E é isso. Levantando a bandeira LGBT pelo mundo todo", contou.

Três lançamentos até o final deste ano, parcerias internacionais e regionais e muito bregafunk, além de experimentação de novos ritmos. É assim que as meninas pretendem chegar a 2020 com pé direito. "Vamos gravar com três MCs pernambucanos. E pensamos em fazer sempre mais. Nunca vamos esquecer das pessoas daqui. O Nordeste sempre vai estar nas nossas veias", contou a gêmea Mirella.

O trio de bregafunk encerra as apresentações no Recife no domingo (1º), na casa de shows Espaço Z, na Imbiribeira. Os ingressos de sábado estão à venda no site Eventbrite ou nas lojas Chilli Beans do Shopping Boa vista, a partir de R$20.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: