Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo
Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo AzevedoFoto: Livio Campos/Divulgação

Amigos e parceiros musicais de longa data, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Alceu Valença se juntaram, no final de 2016, para reeditar um dos espetáculos mais marcantes da música brasileira. Desde então, eles aliam seus projetos individuais à turnê comemorativa de 20 anos do "O Grande Encontro". O show, que já percorreu diversos estados do país e chegou a Portugal, faz nova parada em Pernambuco. A apresentação ocorre no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções, nesta sexta-feira (29), às 21h.

O repertório resgata canções icônicas, como "Táxi lunar", "Banho de cheiro" e "Chão de giz". Mas ao contrário da versão original, que possuía um formato acústico, o novo show incorpora uma sonoridade elétrica e percussiva. Segundo Elba Ramalho, que concedeu entrevista à Folha de Pernambuco, a ausência do cantor e compositor Zé Ramalho nesse reencontro é muito sentida. Apesar disso, ela comemora as novidades do espetáculo dirigido por André Brasileiros. "Agora, temos uma super banda no palco e estamos bem mais rock'n'roll", aponta.

A conexão entre os três artistas é um dos atrativos principais para o público. Única mulher em cena, Elba busca cantar nas mesmas tonalidades de seus companheiros. "Eu gosto de dividir o palco, gosto do desafio e procuro me divertir", afirma. Marcos Arcanjo, Paulo Rafael (violões e guitarras), Ney Conceição (baixo), Meninão (sanfona), César Michiles (flauta), Anjo Caldas (percussão) e Cássio Cunha (bateria) acompanham o trio.

Leia também:
Maroon 5 faz show no Recife em março do próximo ano
Marília Mendonça é a mais ouvida no Brasil e a terceira no mundo no ranking da Deezer

O que interessa a Elba é a troca de experiências não só com os outros músicos, mas também com os perfis distintos de público. "Eu acabo dialogando com plateias diferentes da minha, que se identificam mais com um artista do que com outro", comenta. O interesse dos fãs a cada nova apresentação é a prova do impacto que o projeto alcançou desde o sue lançamento, em 1996. "Passados mais de 20 anos, vemos famílias inteiras no nosso show. É um projeto que atravessa gerações", defende.



O ano de 2019 tem sido especialmente importante para a cantora, pois marca suas quatro décadas de carreira musical. Em junho, ela gravou um DVD comemorativo na Paraíba, sua terra natal, durante a festa de São João de Campina Grande. Seu mais recente disco, "O ouro do pós da estrada", foi indicado Grammy Latino, mas ela já pensa em novos trabalhos. "Felizmente, tenho muitas possibilidades e preciso pensar bem antes de fazer esta escolha. De qualquer modo, podem aguardar que vem coisa boa", garante a artista.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: