Camila Estephania
Camila EstephaniaFoto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

Os candidatos ao Grammy deste ano, que ocorrerá em 12 de fevereiro, deixam confusa qualquer pessoa que acompanhou atentamente a música no ano que passou. Das duas uma: ou 2016 realmente não foi um ano muito frutífero para a indústria fonográfica ou a premiação precisa ser mais inclusiva na seleção. Além de ser possível identificar os vencedores facilmente, algumas categorias até contam com o mesmo artista competindo duas vezes. Não há mistério em saber quem levará o troféu quando Adele concorre ao lado de Justin Bieber para Melhor Álbum Vocal Pop ou Kanye West tem duas músicas disputando a Melhor Colaboração de Rap e a Melhor Música de Rap. Parte dos discos mais interessantes fica suprimida apenas na excêntrica categoria do Melhor Disco Alternativo, que aglomera aquilo que tentou sair da caixinha, como David Bowie, Radiohead, PJ Harvey, Iggy Pop e Bon Iver. Curiosamente, o segmento dos mais ousados não ganha subcategoria de melhor música e nem tem direito a entrar na lista do melhor do ano geral. E assim segue o reinado das gravadoras.

WATERS > Este ano promete mais destaques musicais, a exemplo do ex-Pink Floyd Roger Waters, que está trabalhando com o produtor Nigel Godrich - nome está por trás de discos como “The Bends”, do Radiohead. A união dos gigantes contou com post no Instagram de Waters, que anunciou a volta às gravações do seu próximo álbum solo na última quinta-feira. Este será o seu primeiro disco de inéditas em 25 anos.

ISADORA > O episódio de amanhã da série Cantoras do Brasil, que é exibido às 20h45, no Canal Brasil, traz a cantora pernambucana Isadora Melo homenageando nomes como Waly Salomão, Torquato Neto e Jards Macalé. A recifense está com a carreira em ascensão contínua e teve o ano de 2016 coroado pelo elogiado disco de estreia “Vestuário”.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: