Quando abriu há quase dois anos, na Zona Norte do Recife, o Café com Dengo era como uma miragem no caminho de quem vive na pressa. Serviço cuidadoso, café artesanal e decoração com jeito de casa de parente formaram um mote que, hoje, ganha força com a maturidade do lugar. E nem precisou ser uma idade tão redonda assim. O pouco tempo foi suficiente para a proprietária e barista Natália Valença perceber que seu público gosta de comida sem cerimônia, servido em um ambiente de afeto. Por isso, ela dá início a uma espécie de cardápio de transição, com novidades em cafés, pratos principais e sobremesas que convidam a mais uns minutinhos de sossego pela ZN.

Cupim acebolado na pedida de almoço

Cupim acebolado na pedida de almoço - Crédito: Ed Machado / Folha de Pernambuco

O formato recebe bem quem utiliza o espaço também como restaurante. Uma sacada, aliás, de poucas cafeterias na Cidade ao investir em pratos de almoço e jantar com jeitinho de bistrô, sem perder a mão caseira. Prova disso é o cupim acebolado servido com feijão preto, arroz branco e farofa crocante de banana mais ovo frito (R$ 23,90). Pedida generosa e bem organizada no prato, que ainda oferece uma saladinha a parte. Em pouco tempo, tornou-se um dos campeões de venda ao lado de outras duas novidades bem robustas. Falamos do salmão grelhado com manteiga de ervas, arroz de castanhas e purê cremoso de banana comprida (R$ 27,90), além do nhoque de banana comprida com carne de sol desfiada e puxada na manteiga de garrafa com queijo de coalho tanto no molho quanto por cima (R$ 23,90).

“São opções que acompanham esse crescimento e a vontade de oferecer algo diferente de quando abrimos”, diz Natália, antes de adiantar um reforço de peso para as próximas mudanças do cardápio, que serão comandadas pelo chef Duca Lapenda. Por isso a fase de transição. Serão adaptações, inclusive técnicas, que todo negócio na área começa a pensar depois de um tempo. Ainda mais no mercado de cafeteria artesanal, que, em dois anos, presenciou mudanças importantes de venda e consumo. Eis que surge, por exemplo, espaço para um segundo grão ser trabalhado na casa ao lado do já conhecido Yaguara, de Taquaritinga do Norte. “Teremos sempre um café convidado, como os três microlotes que pegamos do Kaffe para durar um mês e, mais adiante, dar lugar a outro”, explica Natália, de olho no repertório que seus clientes adquiriram nesses últimos meses.

Rabanada na sobremesa

Rabanada na sobremesa - Crédito: Ed Machado / Folha de Pernambuco

Gente que também não dispensa um docinho, e que já pode pedir de inédito o affogato de doce de leite com sorvete de creme e toque de espresso, com uma camada de doce de leite caseiro e farofa de leite Ninho (R$ 11,90). É sobremesa capaz de matar vontades, tão generosa quanto o chamado coffee shake maltine feito de espresso batido também com sorvete de creme, Ovomaltine, calda de chocolate e chantilly (R$ 14,50). Mas se a vontade for pelo conforto de algo quente, volta à cena a cestinha de rabanadas que foi servida no último festival Recife Coffee. Elas são envoltas por canela e açúcar, recheadas com doce de leite ou goiabada, em quatro unidades (R$ 9,90). Em tempo, Natália avisa que continua sobrando afeto até para os pets que pintarem por lá. É que, desde a inauguração, a casa é uma das poucas pet friendly do Recife.

Serviço:
Endereço: rua Teles Júnior, 489, Aflitos
Informações: 3129.9030

veja também

comentários

comece o dia bem informado: