Cardápio contra o câncer de próstata
Cardápio contra o câncer de próstataFoto: Arte/Folha de Pernambuco

Está aberta a temporada do Novembro Azul. A campanha mundial chama atenção para os cuidados de prevenção e diagnóstico precoce, que muito homem ainda deixa de lado, principalmente depois dos 40 anos, quando a incidência do problema é maior. Entre os diversos casos, muitos ainda estão ligados a uma vida desregrada, que passa por sedentarismo, fumo, alcoolismo e, principalmente, uma dieta rica em alimentos processados e sem o menor equilíbrio nutricional.

A lista de itens vilões é extensa. vai de carnes embutidas, consumo excessivo de frituras e uma série de produtos industrializados consumidos em excesso, que só atrapalham no processo de regeneração das células do corpo. Para ter uma ideia, pesquisas do Instituto do Câncer dos Estados Unidos mostram que homens que consomem quantidades elevadas de carne vermelha e com bastante gordura têm 12% a mais de chance de desenvolver câncer de próstata do que homens que evitam esse tipo de consumo. Mudar os hábitos e acrescentar nutrientes como o licopeno é a primeira ação de impacto, segundo os profissionais de saúde.

“O licopeno é um carotenoide e um antioxidante natural encontrado nos alimentos de coloração vermelha, como tomate e melancia. Uma dieta rica dessa substância é essencial na reparação das células e, por consequência, no bom funcionamento do órgão masculino”, adianta a nutricionista Danuza Firmo. Pimentão vermelho, goiaba e rabanete também estão na lista dos ingredientes do bem. O extrato de tomate caseiro já é uma solução prática e popular entre os que querem uma cozinha com toque medicinal, principalmente porque o nutriente em questão fica mais evidente quando é aquecido.

Leia também:
Nutrição: verão é tempo de consumir pratos leves
O clima e a saúde
Especiarias: pequenas doses de saúde


“Os trabalhos de maior evidência científica são as metanálises e revisões sistemáticas, que identificaram o licopeno como o agente capaz de prevenir todos os tipos de câncer de próstata. Há, inclusive, estudos feitos com populações que consumiram uma quantidade específica de tomate e elas tiveram uma diminuição considerável no risco de câncer”, acrescenta o nutrólogo Jêmede Valença. A quantidade a ser consumida vai depender muito da carência individual de cada pessoa e do padrão genético desenvolvido por cada um.

   Dieta turbinada

“Acrescente a esse cardápio os alimentos ricos em ômega 3, que é um potente anti-inflamatório. Fácil de ser encontrado em peixes de águas profundas e geladas, como salmão, sardinha e arenque”, completa Firmo. Esse é um tipo de ácido graxo já bem conhecido entre pacientes com câncer mas que, segundo especialistas, sua suplementação deve ser acompanhada de perto.

Ainda segundo especialistas, tamanha preocupação alimentar deve começar antes mesmo dos 40 anos, durante a juventude. "Acrescente alimentos sulfurosos. Alho e cebola, por exemplo, combatem a ação dos radicais livres, bem como o ácido fólico, presente em vegetais verdes como brócolis, espinafre e couve. Temos também o chá verde com a catequina, que é capaz de reduzir o crescimento das células cancerígenas", defende a nutricionista Daniela Lima. Acrescente nessa lista o leite, que por ser rico em vitamina D e cálcio, ajuda a aumentar a imunidade e diminuir a autodestruição das células com mal formação.


 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: