Perda de músculos é sinal de que o corpo está envelhecendo
Perda de músculos é sinal de que o corpo está envelhecendoFoto: Da editoria de Arte

Enfim, os 40 anos chegaram. Se essa é a sua realidade cronológica atual, muito provavelmente você já sentiu no corpo os primeiros sinais de envelhecimento. Muitas vezes, até antes disso.

Atualmente, o organismo começa a declinar em suas funções básicas lá pelos 35, 36 anos, a depender do estilo de vida. Mas é sabido que, efetivamente, a cada virada de calendário, um novo marco metabólico se apresenta. Objetivamente, a gente só faz envelhecer.

De acordo com a nutricionista e natural chef, Débora Wagner, a partir dos 40 anos, de modo geral, o que se observa é uma perda gradativa de massa magra (músculos) e força, fenômeno chamado de sarcopenia pelos especialistas em nutrição, médicos e nutrólogos.

“Existe uma forte relação ainda entre essa perda de massa magra, devido ao processo fisiológico de envelhecimento, com uma maior constituição de composição gordurosa, já que há uma diminuição de células musculares, que é um tecido bastante ativo”, explica Débora. Essa taxa metabólica basal diminuída é uma situação natural quando o ponteiro do nosso relógio biológico bate os 40 anos.

Mas um novo público tem chegado aos consultórios de profissionais da área. “A sarcopenia tem ocorrido cada dia mais cedo, na popu­lação com bem menos de 35 anos”, aponta a nutricionista.

Segundo ela, a antecipação de um quadro de envelhecimento metabólico é provocado diretamente pelo estilo de vida pouco saudável e cuidadoso nos dias de hoje. “Sedentarismo crescente e maus hábitos alimentares antecipam a perda de massa magra e suas consequências”, enfatiza.

Entre os maus hábitos apontados por Débora, além do consumo exagerado de industrializados e alimentos calóricos pobres em nutrientes essenciais (calorias vazias), estão as alimentações muito restritivas que buscam perda de peso - em ambas as situações não há equilíbrio entre o gasto energético e o estoque de gordura - penalizando a formação de massa magra tão importante para o funcionamento dessa máquina chamada corpo.

Leia também
OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019


Outros fatores como a influência dos hormônios, como o do estresse, a falta de exposição ao sol, consumo de alimentos disruptores endócrinos, atividade intestinal mal tratada e água contaminada reforçam a lista de itens que contribuem para uma saúde metabólica declinante.

Além da perda da massa magra, outros sintomas são comuns nessa fase do organismo: fadiga, cansaço ao acordar, aumento de gordura abdominal, dificuldade para dormir, dificuldade de concentração e falta de pensamento continuado, por exemplo.

SERVIÇO
Débora Wagner é nutricionista clínica e esportiva e natural chef
Consultório na Clínica Cardoso Ávila: avenida Antônio de Góes, 275, Empresarial ITC, sala 1201, Pina. Consultas: 99261.4390
Instagram: @nutrideborawagner

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: