Mulher grávida
Mulher grávidaFoto: Divulgação

Toda mulher sabe que, durante a gravidez, a alimentação merece um cuidado especial. Mas essa noção nem sempre se materializa para uma a cada três gestantes, que sentem dificuldades em adotar um cardápio saudável por causa da correria do dia a dia. O dado preocupante é do levantamento “Como vai a alimentação das gestantes brasileiras? A mãe moderna e o desafio da nutrição equilibrada”, realizada pelo Ibope Conecta e por Nestlé Materna, com 500 gestantes em todas as regiões do País.

De acordo com a pesquisa, 84% das entrevistadas acreditam que ter uma alimentação equilibrada é o suficiente para ingerir todos os nutrientes necessários nesse período de nove meses. No entanto, para a Organização Mundial de Saúde (OMS), deve-se levar em conta a suplementação oral diária de ferro e ácido fólico a fim de diminuir riscos de problemas de saúde no bebê e nas mães.

A nutricionista Milena Nascimento, mãe de uma menina de sete meses, diz que é importante levar em conta a ingestão de nutrientes que fortaleçam o metabolismo nesse período de gestação. “É checar, por exemplo, a quantidade de vitamina D e de ômega 3 para garantir a saúde cerebral da criança. Este último pode vir tanto por manipulação quanto por alimentos como sardinha enlatada, atum e gema do ovo”, afirma, ainda lembrando a importância de ter acesso ao ácido fólico presente em laranja, lentilha e nos vegetais verde escuros, como couve e brócolis. E para evitar o incômodo frequente dos gases: “deixe o feijão de molho por doze horas, jogando a água fora no final e cozinhando com uma nova. Isso ajudará a diminuir o problema”, sugere.

Na pesquisa, um dado curioso aponta que mais de 43% das entrevistadas acredita, ou não sabe responder, se é verdadeira crenças como consumir cerveja preta durante a gravidez e a amamentação. Sendo que qualquer quantidade de álcool, na verdade, é contraindicada para as gestantes. “Também é preciso evitar alguns chás, como o de canela, capaz de aumentar as contrações uterinas e aumentar as chances de abortar. Isso sem falar nos chás verde e preto, ricos em cafeína”, completa Nascimento.

Rotina saudável
No contexto da gravidez saudável, especialistas também sugerem um período de hábitos regrados. Significa, por exemplo, ingerir mais água durante todo o dia. “Para aliviar prisão de ventre e constipação. Por isso, elas também devem comer alimentos integrais, frutas e líquidos para hidratar o corpo e o intestino funcionar. Fazer caminhadas leves, evitar frituras, gorduras e doces em excesso, por conta do aumento exagerado de peso”, destaca a nutricionista Daniela Lima.

Sobre tomar leite ou não, ela orienta que as mães sensíveis à lactose moderem o consumo. Mas depende da gestante. “A questão maior é no excesso de café e de estimulantes como o chocolate. Nada em exagero”, alerta. Por outro lado, o consumo maior deve ir para alimentos ricos em ferro e vitamina C, “para precaver a anemia comum nesse período”, finaliza Lima.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: