Drinques costumam ter o incremento de outros ingredientes
Drinques costumam ter o incremento de outros ingredientesFoto: Leo Motta/Arquivo FolhaPE

Você se alimenta de forma saudável todos os dias, mas no final de semana exagera no bar? Cuidado, esse hábito pode estar atrapalhando a sua dieta. Cada grama de álcool puro produz sete calorias. Entretanto, o valor calórico de cada tipo de bebida varia de acordo com o seu teor alcoólico.

Uma garrafa long neck de cerveja, que equivale a 355 mililitros, contém 149 calorias. Uma taça de vinho tinto (148 ml) possui aproximadamente 96 calorias, enquanto o Champanhe (148 ml) fornece 84 calorias. Já uma dose de uísque (44 ml) conta com 98 calorias em média. No caso dos drinques, é preciso fica de olho também nos ingredientes adicionais, como leite condensado, frutas, creme de leite e refrigerantes. Mas o valor calórico não é o único fator que deve ser levado em conta na hora de decidir o que beber.

“É importante falar também sobre o índice glicêmico de cada bebida. Quanto mais alto ele for, maior será a síntese de células de gordura. A cerveja, por exemplo, tem um elevado índice glicêmico e, por isso, ela tem o poder de promover um ganho de peso maior do que as bebidas destiladas, como o uísque”, explica a nutricionista funcional Joyce Moraes (@nut_joyce_moraes).

Não é apenas a balança que pode ser afetada pelo consumo em excesso de bebidas alcoólicas. De acordo com a profissional, o álcool pode trazer graves prejuízos à saúde. “Qualquer bebida alcoólica, das mais fortes às mais leves, sobrecarregam o fígado. Quando isso ocorre, a pessoa fica mais suscetível a uma série de problemas, como esteatose hepática (acúmulo de gordura nas células do fígado), distúrbio hormonal, dificuldades na digestão e na absorção de nutrientes”, aponta.

Leia também:
Nutrição é fator decisivo na compra
Dia da Saúde e Nutrição
Nutrição: verão é tempo de consumir pratos leves


No entanto, para quem não dispensa “tomar uma” de vez em quando, Joyce Moraes afirma que é possível beber sem culpa. “É importante consultar o seu nutricionista. Recomendo que esse assunto seja abordado durante a consulta. Se você tem o hábito de beber vinhos, por exemplo, seu profissional pode mostrar quais seriam os tipos de vinho e os acompanhamentos mais indicados no seu caso, dentro da dieta prescrita e dos objetivos fechados”, aconselha.

Ainda de acordo com a nutricionista, a quantidade de álcool que pode ser ingerida depende do sexo, faixa-etária, percentual de gordura, altura e outros fatores clínicos de cada pessoa. Uma regra que vale para todos os casos é nunca consumir bebidas alcoólicas se estiver fazendo uso de medicamentos. “É algo que tenho visto muito no meu consultório e é absolutamente contraindicado. É essencial sempre consultar seu médico nessa situação”, alerta.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: