O número de pessoas com gordura no fígado vem aumentando
O número de pessoas com gordura no fígado vem aumentandoFoto: Da editoria de Arte

Imagine você que a maior glândula do corpo humano, responsável por funções importantes ao bom funcionamento do organismo, é um orgão que sofre calado. O fígado, capaz de filtrar micro-organismos, além de metabolizar e estocar nutrientes, está diariamente exposto às impurezas do dia a dia, sem emitir um único sinal de dor.

No entanto, estima-se que quase um terço da população brasileira segue uma dieta que favorece o acúmulo de gordura nessa região, capaz de desestabilizar as funções hepáticas.

“O que pouca gente sabe é que um dos grandes causadores desse mal é o excesso de carboidratos refinados, como massas, pães, açúcar, bolachas, sem falar nas bebidas açucaradas, como refrigerantes, sorvetes e industrializados”, aponta a nutricionista Jeane Kelly Bortoletto, do Espaço Saúde, localizado no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife.

Um sinal de que algo não anda bem está no excesso de gordura que se apresenta na barriga. Razão para uma dieta equilibrada se mostrar útil na redução de peso, a partir das necessidades de cada pessoa.

“Existem os alimentos chamados ‘detox’ que ajudam o fígado a desempenhar o papel de eliminar as toxinas. Podemos citar os vegetais verdes escuros, como couve, espinafre e acelga, além de alho, extrato de própolis, alecrim e chá verde.

Todos esses alimentos possuem nutrientes importantes para a atividade enzimática durante o processo de destoxificação”, completa Bortoletto. Ainda na lista do bem, o gengibre tem propriedades antinflamatórias e digestivas, podendo ser consumido como chá ou misturado aos sucos naturais. Uma dica comum entre os profissionais de saúde é incluir elementos como esse logo no café da manhã, na intenção de proteger o órgão para o combate do dia.

De acordo com a especialista, vale inserir uma boa ingestão de gorduras saudáveis, como castanhas-do-Pará e de caju, além de boas fontes de fibras como linhaça e semente de chia.

“A maçã, por possuir quercetina, que ajuda a reduzir a oxidação e aumentar os níveis de glutationa - um antioxidante hidrossolúvel -, também é capaz de prevenir danos hepáticos”, completa.

Atento aos alertas
Mesmo sem dor localizada, o fígado com esteatose hepática, ou excesso de gordura, faz o corpo se sentir mais cansado, as noites de sono serem mais difíceis e até provocar alterações de humor.

Há situações em que as unhas ficam quebradiças e os cabelos caem além do normal. Se a situação não mudar, o quadro pode evoluir para cirrose - mesmo o indivíduo não tendo o costume de ingerir bebida alcoólica, hepatite e até câncer.

Leia também
Nutrição Comportamental
Nutrição na Síndrome de Down


“Para ‘lavar’ esse órgão, é preciso ingerir mais de três litros de água diariamente”, sugere a nutricionista Iane Lima, que também recomenda o consumo de água de coco e sucos ricos em vitamina C.


veja também

comentários

comece o dia bem informado: