Compostos de antioxidantes contribuem para a manutenção das funções do cérebro
Compostos de antioxidantes contribuem para a manutenção das funções do cérebroFoto: Lehi Henri/Folha de Pernambuco

O último fim de semana do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é mais uma chance para os estudantes se preocuparem com a alimentação que fortalece a memória. Afinal, se há ingredientes fáceis de encontrar na feira, que são úteis para turbinar o raciocínio, por que não se abastecer deles nesta reta final e ao longo de todo o ano?

Mas antes que você idealize uma receita milagrosa, capaz de fazer lembrar detalhes da Tabela Periódica, saiba que nenhum alimento muda as habilidades cognitivas da noite para o dia. Profissionais de saúde são unânimes ao afirmar que manter uma rotina saudável, com boa noite de sono e prática de exercícios físicos, ajuda o organismo a absorver melhor os nutrientes atuantes na saúde da mente. Um deles, aliás, é o ômega 3 - essencial para ajudar na troca rápida de mensagens no cérebro. “Neste caso, as principais fontes são peixes, como sardinha, atum e salmão, além de sementes de chia, linhaça e as sementes oleaginosas, tais como nozes e castanhas”, pontua a nutricionista Helen Lima.

Leia também:
Ovo é bom para a saúde dos idosos
Conheça os alimentos essenciais para a saúde do homem

Também não podem faltar os vegetais compostos de antioxidantes, que contribuem para a manutenção das funções do cérebro ao eliminar os radicais livres do corpo. “Podemos destacar abacate, frutas vermelhas, como uva, acerola e morango, e vegetais verdes escuros, como brócolis, espinafre, rúcula e outros”, completa Lima. Já o nutriente chamado fisetina vem se destacando nas últimas pesquisas científicas ao ser apontado como uma substância capaz de prevenir Alzheimer, por proteger os neurônios no cérebro dos efeitos do envelhecimento, além de estimular os mecanismos cerebrais. Está presente no morango, no tomate e até no pepino.

O consumo certo

Segundo a nutricionista Cris Albuquerque, o maior problema é que os jovens, pela correria e ausência de hábitos saudáveis, consomem muitos alimentos industrializados, ricos em açúcares e gorduras, aumentando a sensação de fadiga e sonolência. “Ao invés disso, é interessante ingerir alimentos que darão uma forcinha na memória e concentração, a exemplo de folhosos como couve, rúcula e espinafre, que podem ser utilizados na forma de saladas e sucos, como couve e laranja”, sugere.

A especialista também ressalta o consumo de ovos, beterraba, alimentos integrais e chocolate amargo a partir de 70%. “Pois ajudam a manter o estado de alerta e diminuem a fadiga mental, devido à cafeína. Só cuidado com a quantidade, cafeína em excesso pode gerar irritabilidade, o que não ajuda nada na hora da concentração”, avisa.

No dia da prova, seja ela a do Enem ou não, vale fazer uma refeição leve no café da manhã e no almoço. “Nada que possa te deixar sonolento ou com sensação de empachamento. E, durante o teste, hidratar-se bem e petiscar alguns lanches, como sementes de castanhas e amendoim em pequena quantidade”, diz Helen Lima, alertando também para o consumo de alimentos preparados em casa, como os sanduíches com recheio e as saladas de frutas, que requerem refri­geração, assim como os iogurtes.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: