Vida Saudável

Ney Cavalcanti e Solange Paraíso

ver colunas anteriores
Frutas desidratadas são boas fontes de energia
Frutas desidratadas são boas fontes de energiaFoto: Da editoria de Arte

Com a proximidade do Carnaval surgem várias solicitações de orientação quanto à alimentação mais adequada para esse momento de informalidade, uma vez que os foliões querem vivenciá-lo tranquilamente.

Isto diz respeito a tão propagada segurança alimentar; na realidade, todos os cuidados do dia-a-dia são aplicáveis a este período, porém é bom se lembrar de algumas peculiaridades...

Alguns blocos de Carnaval servem preparações tradicionais como o munguzá, o angu, caldo de mocotó ou de feijão e aí a farra é completa. Aliás, quer seja em ambiente mais privativo como camarotes, bares ou clubes, ou ao ar livre (na praia, na rua, nos blocos), a pessoa deve pensar em se manter hidratada.

Todo mundo já sabe que a água é o melhor dos meios para repor o que se perde com o suor; este é produzido com o objetivo de resfriar a pele quando a temperatura corporal aumenta. A água pura deve ser tomada fria ou gelada, com frequência. E nada de usar gelo de procedência duvidosa ou sem embalagem higiênica!

Sucos de frutas naturais, picolés de frutas e a nossa originalíssima água de coco devem ser usadas à vontade, ao invés de bebidas gaseificadas - que fornecem apenas calorias vazias e gases, além de aditivos e outras substâncias nocivas à saúde.

Bebidas isotônicas e energéticas devem ser consumidas com moderação, porque seus teores de açúcar e minerais são elevados e contraindicados para pessoas diabéticas, hipertensas e outras.

Os usuários de bebidas alcoólicas devem ingerir alternadamente água pura para minimizar os danos do álcool, diluindo-o na corrente sanguínea. Nesta intenção de redução dos danos, devem lembrar-se, ainda, de ingerir alimentos líquidos e sólidos também (assim o efeito prejudicial do álcool no sistema digestivo é menor, bem como a absorção e a chegada ao sistema nervoso central).

Os alimentos que contêm muita gordura (como as frituras) devem ser ingeridos em quantidades mínimas ou mesmo evitados, porque o tempo necessário à sua digestão é maior do que o requerido para carboidratos e proteínas e, a depender da quantidade, pode levar a desconforto. Além do mais, embora a gordura também seja fonte de calorias, é ao carboidrato que o organismo recorre primeiro para a produção da energia a ser gasta na folia.

Os alimentos que deveriam ser priorizados para consumir antes e durante os festejos são as frutas, de preferência frescas, por conterem elevado teor de água, vitaminas, sais minerais, açúcares simples e fibras.

Se há possibilidade de o folião levar de casa, é melhor recorrer a frutas com casca, por serem mais práticas de transportar e menos susceptíveis de se estragar. Caso haja no local da folia uma estrutura que disponibilize as frutas já tratadas ou em forma de sucos, é bom verificar a higiene do local e dos utensílios.

As frutas desidratadas (passas, ameixas, tâmaras, damascos, etc.), as castanhas de caju e do Pará (ou do Brasil, terminologia adotada mais recentemente), as amêndoas e nozes são também uma boa opção como fonte de carboidrato, proteína, fibra, minerais, vitaminas e gordura monoinsaturada (aquela que é “do bem” para o sistema circulatório).

Uma dica é fazer um mix com estes alimentos e levar porções em saquinhos para servir de lanche na hora em que a fome apertar. Ah, vamos preservar a natureza recolhendo e destinando corretamente todos os resíduos!

*É nutricionista e atua no Tribunal de Justiça de Pernambuco no Núcleo do Programa Saúde Legal

veja também

comentários

comece o dia bem informado: