Vida Saudável

Ney Cavalcanti e Solange Paraíso

ver colunas anteriores
Oleaginosas
OleaginosasFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Desde a Antiguidade, os grãos e as sementes são plantados, colhidos e armazenados; muitas vezes constituem a base da alimentação de um povo, haja vista o milho para os habitantes da América Central, o arroz para os asiáticos, e o feijão com arroz para os brasileiros. Mesmo considerando que esses alimentos possuem baixo teor de umidade, são propícios ao desenvolvimento de fungos e insetos.

Em geral, um planejamento doméstico racional já minimiza a probabilidade de se estragarem; ambientes de estocagem bem arejados fazem muita diferença, também. Veremos a seguir que sempre vale a pena tomar alguns cuidados na compra e no armazenamento:

Observe o prazo de validade nas embalagens industrializadas de arroz, aveia, milho, feijão, fava, amendoim, soja, lentilha, ervilha, grão-de-bico, granola, etc., e compre os produtos mais novos possíveis; para os farináceos e os farelos (fubá, farinha e farelo de trigo e de soja, farinha de mandioca, farinha e amido de milho, etc.), assim como para o macarrão, os pães e os demais subprodutos do trigo, idem;

Observe a integridade, a higiene e o aspecto externo das embalagens, além dos grãos em si (cor, tamanho, presença de impurezas, de carunchos e outros insetos);

Ao comprar linhaça, quinua e gergelim, p. ex., opte pelas sementes inteiras (ao invés de farelos), os quais devem ser triturados em casa (no liquidificador, usando a função pulsar) em pequenas quantidades. Idem, para as sementes de girassol e similares;

Castanhas, amêndoas e nozes devem ser obtidas, sempre que possível, nas embalagens fechadas, guardando o mesmo rigor do prazo de validade, higiene, aspecto e vedação. Quando obtidas a granel, deve ser observada a higiene dos utensílios que as acondicionam, dos manipuladores e do ambiente. As plaquinhas de identificação devem conter os prazos de validade, também;

Quando os grãos ou sementes são oleaginosos (castanhas, amendoim, linhaça, gergelim, etc.), podem ficar rançosos, se armazenados por muito tempo. Compre-os em pequenas quantidades, e guarde-os, de preferência, em potes de vidro de cor escura (para evitar a oxidação ocasionada pelo contato, mesmo que indireto, com o oxigênio do ar e com a luz solar);

Sementes de jerimum e caroços de jaca são boas fontes de alguns nutrientes, e podem ser coletados no próprio fruto, lavados em água corrente e secos ao forno. Guardados em pote de vidro bem fechado se conservarão por mais tempo;

Quanto aos grãos em conserva evite seu uso, ao máximo; tanto pela perda dos nutrientes no processamento, quanto pelos riscos consequentes à adição de conservantes e outras substâncias químicas, dentre elas, o próprio sal.

Podemos ter uma variedade de grãos e sementes disponíveis para consumo, atualmente; o bom senso nos indica, porém, que não precisamos aderir a todos os modismos, sem antes nos informarmos sobre os reais benefícios nutricionais. Misturar muitos tipos numa só receita pode gerar, inclusive, competição na hora da absorção intestinal dos nutrientes, interferindo na biodisponibilidade dos mesmos.

*É endocrinologista e escreve quinzenalmente neste espaço

veja também

comentários

comece o dia bem informado: