Ações da Vale sobem 5% com alta do minério na China; Bolsa cai 1,2%

Alta é sustentada pela forte demanda pela matéria-prima e pelo aço, cujos preços também subiram

Movimento nas bolsas de valoresMovimento nas bolsas de valores - Foto: Daniel Leal-Olivas/AFP

Os papéis da mineradora Vale lideram o ranking de maiores altas do Ibovespa nesta quarta-feira (9) e limitam a queda do principal índice da Bolsa brasileira, diante da inesperada vitória do republicano Donald Trump para a presidência dos EUA.

As ações ordinárias (ON) da companhia subiam há pouco 5,71%, a R$ 25,34, e as preferenciais classe A (PNA) ganhavam 4,20%, a R$ 23,54. Já o principal índice da Bolsa perdia 1,19%, aos 63.393,15 pontos.

Entre as siderúrgicas, Gerdau PN subia 5,56%; Metalúrgica Gerdau, +3,33%; CSN ON, +2,74%; e Usiminas PNA, 4,22%.

O motivo para alta das ações da Vale e de siderúrgicas é o avanço do preço do minério de ferro na China para a casa dos US$ 70 a tonelada, maior cotação desde janeiro de 2015. O mercado chinês é o maior consumidor mundial da commodity.

A alta é sustentada pela forte demanda pela matéria-prima e pelo aço, cujos preços também subiram.

O minério de ferro para entrega em Qingdao, na China, subiu 3,92% nesta quarta-feira, para US$ 70,98 a tonelada.

Na Europa, as ações de empresas do setor de mineração -BHP Billiton, Rio Tinto e Glencore- também operam em forte alta.

Veja também

Turismo acumula perdas de R$ 122 bi na crise, e recuperação será lenta
Economia

Turismo acumula perdas de R$ 122 bi, e recuperação será lenta

Mais de 5 milhões já deixaram o afastamento do trabalho desde maio, diz IBGE
Coronavírus

Mais de 5 milhões já deixaram o afastamento do trabalho desde maio, diz IBGE