Ações da Vale sobem mais de 7% e lideram ganhos da Bolsa; dólar avança

O minério de ferro, o aço e outras commodities metálicas se valorizaram com especulações de aumento da demanda mundial em 2017

Armando Monteiro (PTB) ouviu críticas de artistas pernambucanosArmando Monteiro (PTB) ouviu críticas de artistas pernambucanos - Foto: Leo Caldas/Divulgação

A valorização de mais de 6% do minério de ferro na China impulsionou as ações de mineradoras nesta terça-feira (22). No Brasil, os papéis da Vale lideraram os ganhos do Ibovespa, que fechou o pregão em alta de 1,45%, aos 61.954,47 pontos. O giro financeiro foi de R$ 8,7 bilhões.

O minério de ferro, o aço e outras commodities metálicas se valorizaram com especulações de aumento da demanda mundial em 2017. Somente neste ano, o preço do minério acumula alta de 72%, para perto de US$ 75 a tonelada.

As ações ordinárias (ON) da Vale subiram 7,51% e as preferenciais classe A (PNA) ganharam 6,15%. As ações PN da Bradespar, acionista da mineradora, tiveram alta de 6,80%.

Entre as siderúrgicas, CSN ON, +4,62%; Gerdau PN, +4,21%; e Usiminas PNA, +2,93%.

Os papéis da Petrobras também terminaram no campo positivo, apesar da volatilidade dos preços do petróleo no mercado internacional. O papel PN subiu 2,24% e o ON avançou 2,49%.

No setor financeiro, Itaú Unibanco PN subiu 0,33%; Bradesco PN, +0,67%; Bradesco ON, +1,86%; Banco do Brasil ON, +1,23%; e Santander unit, +1,83%.

Em Nova York, o índice S&P 500 subia 0,11%; o Dow Jones ganhava 0,33% e o Nasdaq, +0,23%. Os três índices renovavam as pontuações máximas históricas atingidas na véspera. Na Europa e na Ásia, a maioria das Bolsas também subiu.

Câmbio e juros
O dólar teve desempenho misto no exterior nesta terça-feira. No Brasil, o dólar comercial fechou em alta de 0,14%, a R$ 3,3570, e a moeda americana à vista subiu 0,33%, a R$ 3,3594.

Segundo analistas, importadores aproveitaram a queda da moeda nas sessões anteriores para ir às compras.

O Banco Central rolou 19,815 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalentes à venda futura de dólares, no total de US$ 990,750 milhões. Desta forma, a autoridade monetária terminou a rolagem dos contratos que vencem em 1 de dezembro.

"O BC pode antecipar a rolagem de contratos que vencem nos próximos meses ou mesmo voltar a ofertar novos contratos de swap cambial reverso, caso o dólar volte a subir rápido", avalia Ricardo Gomes da Silva, superintendente de câmbio da Correparti Corretora.

Na semana passada, o dólar ultrapassou os R$ 3,44, com apostas de uma alta mais acelerada dos juros americanos sob o futuro governo do presidente eleito Donald Trump. Além da rolagem de contratos de swap cambial que vencem em 1º de dezembro, o BC ofertou novos contratos entre quarta (16) e sexta (18).

No mercado de juros futuros, no entanto, as taxas recuaram nesta terça-feira, refletindo a menor percepção de risco nos mercados financeiros mundiais, mesmo com a valorização do dólar ante o real.

Veja também

Desemprego: o fantasma volta a assombrar
NEM 8, NEM 80

Desemprego: o fantasma volta a assombrar

Taxa de desemprego chega a 17,1% em Pernambuco
Pnad Covid

Taxa de desemprego chega a 17,1% em Pernambuco