Açúcar e fruta alavancaram o agronegócio em Pernambuco

Balanço é referente ao ano de 2017, divulgado pelo Ministério da Agricultura

Cana-de-açúcarCana-de-açúcar - Foto: Arthur Mota/Arquivo Folha

No ano passado, o Brasil apresentou um saldo positivo para as exportações do agronegócio, com crescimento de 13% em relação a 2016. Dados divulgados pelo Ministério da Agricultura apontaram que o ano de 2017 somou US$ 96,01 bilhões no número de exportações, registrando o segundo maior saldo da balança do agronegócio da história. O setor assinalou um superávit de US$ 81,86 bilhões, calculando o saldo da exportação sobre a importação. No ranking geral da venda para o mercado externo, a soja ocupou o primeiro lugar, com US$ 31,72 bilhões, seguido das carnes com US$ 15,47 bilhões e do complexo sucroalcooleiro, que registrou venda de US$ 12,23 bilhões.

De acordo com a pasta, a alta do salto comercial se deveu pelo início da recuperação de preços no mercado internacional e pelo aumento dos volumes de produtos exportados. Em Pernambuco, dois produtos alavancaram as exportações de 2017, que apresentou um valor total de US$ 352,8 milhões, com 459 quilogramas (kg) vendidos para outros países. Em primeiro lugar, as frutas registraram US$ 161,3 milhões em valor exportado e 115,3 kg em quantidade, seguido do setor sucroalcooleiro com US$ 147,4 milhões em venda e 304,1 kg.

Segundo o presidente do Sindaçúcar-PE, Renato Cunha, apesar do crescimento da exportação do açúcar em relação a 2016, os preços não foram tão atrativos. “O mercado interno não conseguiu absorver a demanda, então precisou gerar exportação. Essa venda externa foi favorecida pela relação cambial entre o dólar e o real”, explicou Cunha. Em 2016, o Estado exportou US$ 133 milhões e 287 kg.

Leia também:
Com US$ 96 bilhões, exportações do agronegócio têm aumento de 13% em 2017
Brasil manda missão à Espanha para tentar vender mais frutas

Por sua vez, devido às duas safras que ocorreram no ano passado, as frutas apresentaram um balanço relevante. “Em 2017, houve uma safra no primeiro semestre e outra no segundo semestre. Então, como o mercado interno não estava tão atraente e aquecido devido à crise econômica enfrentada pelo País, os produtores direcionaram as atividades para exportação”, disse Jailson Lira, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR). Para o presidente da Valexport, José Gualberto, houve uma maturação de pomares no Estado. “Mesmo com a crise hídrica, teve um clima de efetivação nos negócios de exportação das frutas”, avaliou.

Veja também

Guedes diz que Plano Real não foi "melhor do mundo"
Economia

Guedes diz que Plano Real não foi "melhor do mundo"

Caixa isenta linhas do Pronampe de tarifa de abertura de crédito
Crédito

Caixa isenta linhas do Pronampe de tarifa de abertura de crédito